RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - O fóssil de um dos primeiros pterossauros encontrados no Brasil será exposto ao público, pela primeira vez, a partir de sábado, dia 14 de abril, no Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN/UFRJ), localizado na Quinta da Boa Vista, zona norte do Rio.

Trata-se do crânio de um animal encontrado na Bacia do Araripe, Ceará, e descrito pelos paleontólogos italianos Guido e por Giuseppe Leonardi, em 1985. A espécie recebeu o nome de Cearadactylus atrox (Ceará + dactylus do grego significando "dedo", "dígito”, e atrox, do latim, significa "cruel", em alusão aos grandes dentes).

Há cerca de 100 milhões de anos, os céus do Nordeste brasileiro eram povoados pelos pterossauros, os répteis voadores. A peça foi doada ao Museu Nacional pela família de Guido Borgomanero (1921-2005), ex-cônsul da Itália, para os estados do Paraná e São Paulo e um apaixonado pela Paleontologia. Ele e sua esposa, Ragnhild Borgomanero, construíram ao longo da vida uma das mais importantes coleções particulares de fósseis e minerais da América Latina.

A apresentação do fóssil original acontecerá nesta sexta, 13 de abril, durante a cerimônia de posse do novo diretor do Museu Nacional, o paleontólogo Alexander Kellner, um dia antes de ocupar o circuito expositivo do museu. Na ocasião, o diretor fará uma breve homenagem à Família Borgomanero, em agradecimento à doação feita pela sra. Ragnhild. A peça poderá ser visitada a partir de sábado juntamente com o fóssil da mandíbula, a réplica da cabeça do animal em vida e a réplica, em resina, do fóssil do animal, antes de ser redescrito (ainda em um nódulo de rocha).

Mais informações: http://www.museunacional.ufrj.br

Fonte: Faperj

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30