DISTRITO FEDERAL, Brasília - A tela Claudius, do artista contemporâneo alemão Gerhard Richter, passa agora a compor definitivamente o acervo do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP).


Obra 'Claudius', de Gerhard Richter, doada pelo Iphan ao MAC USP (Foto: divulgação)

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) formalizou em junho o processo de doação ao museu, por considerar que é o espaço ideal não apenas para conservar a obra, como para garantir visibilidade e contextualização ao público. Richter é considerado um dos mais influentes artistas vivos do mundo e Claudius é a primeira desse artista a compor o acervo do MAC.

A tela foi doada ao Iphan em 2010 pela Superintendência da Receita Federal em São Paulo. Apreendida por irregularidade no processo de importação, a obra, com cerca de três metros de altura por quatro de comprimento, foi pintada por Richter em 1986.

O processo de apreensão pela Receita Federal, comodato entre o Iphan e o MAC-USP até a doação definitiva do bem cultural, demonstra a importância das articulações entre instituições do poder público no combate a irregularidades que, especificamente no campo dos bens culturais, pode desempenhar um relevante papel no incremento de acervos artísticos públicos. Diversos museus e espaços culturais com acervos artísticos podem se beneficiar da consolidação desse trabalho interinstitucional, para além do aprimoramento dos instrumentos de combate a irregularidades.

Segundo o professor de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo, Jens Michael Baumgarten, a obra do artista alemão é uma das mais expressivas da atualidade, podendo ser identificada como da “segunda modernidade da arte contemporânea”. Nascido em 1932 em Dresden, o artista estudou na Kunstakademie entre 1952 e 1957, sendo influenciado pelo realismo socialista. De 1961 a 1964, Richter estudou na Staatliche Kunstakademie, em Düsseldorf, onde envolveu-se com o expressionismo abstrato e iniciou as pinturas que fundiam a iconografia jornalística e retratos de família, com um realismo baseado na fotografia. Mais tarde, enveredou pelo construtivismo, evoluindo para a pintura monocromática.

A sua primeira exposição individual, intitulada Imagens, Fotografias e Retratos de Família, foi em 1963, quando apresentou o estilo fotografia-pintura. Já a sua primeira retrospectiva aconteceu no Kunsthalle, em Bremen, em 1976, onde ele apresentou uma seleção de trabalhos realizados entre 1962 e 1974. Em 1988, o artista teve, por sua vez, a sua primeira exposição retrospectiva no Estados Unidos, no Museu de Arte Contemporânea de Chicago, e depois em Washington e em São Francisco.

A produção artística de Gerhard Richter, que é professor na Staatliche Kunstakademie, de Düsseldorf, pode ser inserida em três categorias: figurativa, pois as pinturas são baseadas na fotografia ou na natureza; construtivista; e abstrata. No conjunto de sua obra, porém, é marcante o viés romântico e de aparência antimodernista.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31