MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Publicação reúne indicadores relacionados à atividade turística no estado no período de um ano

Em sua quarta edição, está disponível no site do Observatório do Turismo de Minas Gerais (OTMG) o caderno “Turismo em Minas Gerais 2019 – Dados e Fatos”, publicação elaborada pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) que visa consolidar as principais informações da atividade no estado durante o ano e faz parte de uma série de anuários estatísticos disponíveis no OTMG.

O documento apresenta, além dos mais relevantes indicadores do turismo em Minas Gerais baseados em 2019, a implantação e análise de um novo indicador, o Índice de Atividades Turísticas (IATUR), que mostra a variação de receita nominal e do volume das atividades turísticas no estado, disponibilizados pela Pesquisa Mensal de Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para a superintendente de Políticas do Turismo da Secult, Flávia Ribeiro, o anuário “Turismo em Minas Gerais – Dados e Fatos” é um documento fundamental para auxiliar o desenvolvimento do turismo no estado, bem como para o entendimento do setor como um vetor de crescimento econômico e de geração de emprego e renda. “A publicação apresenta as séries históricas construídas pelo Núcleo de Pesquisa e Estatística a partir de fontes de pesquisa próprias e também secundárias. Os dados são levantados periodicamente, consolidados pelo Observatório do Turismo do Estado e disponibilizados para o público, formado por pesquisadores, estudantes, acadêmicos, profissionais das diversas cadeias envolvidas pelo turismo e por empreendedores do ramo. São informações importantes e atuais que norteiam não só o desenvolvimento do setor, mas também o planejamento de ações e elaboração de políticas públicas pela Secult, em função da identificação de pontos fortes e vulneráveis das atividades relacionadas ao turismo em Minas Gerais”, explica Flávia.

Diversidade de dados
Entre as informações documentadas no caderno, estão dados estimados sobre o fluxo turístico em Minas, que em 2019 foi de 30,4 milhões de turistas, o que representa um aumento de 11,8% em relação a 2018, ano em que foi registrado um fluxo de 27,2 milhões de turistas no estado. Outros indicadores que mostram um crescimento em relação a 2018 compõem a estimativa da receita gerada pelos turistas em Minas Gerais: em 2019, foi de R$ 20,6 bilhões, número 13,2% maior em comparação com o ano anterior; e também o aumento de 20,8% no número de visitações dos parques naturais do estado, maior número da série histórica, registrando mais de um milhão de visitantes em 2019.

Com relação ao setor hoteleiro, os indicadores mostram que a taxa de ocupação anual de BH foi de 57,1%, o que representa um aumento de 15,6% em relação a 2018. Outro crescimento registrado foi na ocupação de hotéis da capital: foram registrados 2,61 milhões de hóspedes, maior número desde 2014, ano em que o caderno “Turismo em Minas Gerais – Dados e Fatos” foi publicado pela primeira vez.

O levantamento dos dados tem como uma das fontes secundárias o Ministério do Turismo (MTur), cujas pesquisas indicaram que o número de estrangeiros que desembarcaram no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em 2019, foi de 54.424 passageiros. Apesar de representar uma queda de 33,5% em relação a 2018, esse número vem crescendo, em média, 8,5% ao ano desde 2014. Ainda de acordo com MTur, os principais países emissores de passageiros são, nessa ordem: Argentina, Portugal, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Inglaterra, França, Colômbia, Espanha e Suíça.

Além de informações sobre fluxos de turistas e passageiros, das receitas geradas pelas atividades e do setor hoteleiro em Minas Gerais, o anuário apresenta dados referentes à economia formal do turismo e aos aeroportos do estado e rodoviária de Belo Horizonte.

Clique AQUI para acessar a publicação “Turismo em Minas Gerais 2019 – Dados e Fatos”.

Observatório do Turismo de Minas Gerais
O Observatório do Turismo de Minas Gerais é uma instância de pesquisa regulamentada pela Lei nº 22.765, de 20/12/2017, e pelo Decreto nº 47.526, de 06/11/2018, que tem como objetivo o monitoramento em rede da atividade turística no estado, o incentivo à inovação, à inteligência de mercado e o fomento à pesquisa acadêmica em turismo. Sua coordenação fica a cargo da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult).

Pelo Observatório já foram publicados diversos estudos, pesquisas, boletins e artigos acadêmicos e outros conteúdos. Entre eles estão o “Documento Orientador para o Setor de Turismo de MG – Covid 19” e o “Relatório de Panoramas e Tendências para o Turismo em Minas Gerais”, material elaborado pela Secult com o objetivo de contribuir para o enfrentamento da crise pela cadeia turística, levando em consideração os cenários antes, durante e após a pandemia.

Fonte: Secult MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31