DISTRITO FEDERAL, Brasília - O Museu Casa da Hera (RJ) e o Museu Casa Histórica de Alcântara (MA) disponibilizaram seus acervos online por meio da plataforma Tainacan, durante a 18ª Semana Nacional de Museus.


Casaco da coleção de indumentária do acervo do Museu Casa da Hera/Ibram

No acervo online do Museu Casa da Hera estão disponíveis 1155 itens divididos em duas categorias: as peças compõem o cenário da casa e as de indumentária. Entre mobiliários luxuosos, porcelanas, prataria, quadros e objetos de uso pessoal e doméstico e o piano francês Henri Herz, do século XIX, um dos únicos exemplares em funcionamento no mundo, o acervo que compõe a Casa registra o modo de viver da abastada, engajada e vanguardista família do Dr. Joaquim José Teixeira Leite (1812/1872).

Já a coleção de indumentária assinada por mestres da alta costura internacional, como Charles Worth, é símbolo histórico não só do refinamento das mulheres da casa, como também do quanto elas tinham acesso e estavam interadas dos acontecimentos e influências de outros continentes.

Dentre elas, 15 possuem etiquetas de grife, com peças assinadas por grandes mestres como A. Felix Breveté, Rouff, Morin & Blossier e Charles Worth, considerado o primeiro grande criador de moda e inovações como a apresentação prévia de coleções através de desfiles e a identificação de suas peças com etiquetas assinadas, introduzindo a ideia de grife.

O Museu Casa Histórica de Alcântara possui cerca de 2100 objetos museológicos, cujos móveis e utensílios retratam aspectos sociais e culturais ligados ao trabalho, à vida doméstica e ao cotidiano entre os séculos XIX e XX.


Gomil, em ferro esmaltado, do acervo do Museu Casa Histórica de Alcântara/Ibram

No acervo disponível para consulta estão 631 itens, tais como móveis, pratarias, vidraria de farmácia, alfaias, peças de vestuário e demais objetos de valor histórico que pertenceram à família Guimarães.

No site, também estão disponíveis ao público uma exposição de longa duração, que aborda as atividades comerciais que funcionaram no prédio e aspectos históricos revelados a partir de móveis e objetos e a exposição temporária Memória Viva, registro fotográfico de moradores, artistas, famílias e representantes da identidade local, além de outros materiais que podem ser encontrados no módulo Multimídia.

Novos sites institucionais
Na ocasião, o Museu do Diamante (MG) e Museu Imperial (RJ) também lançaram seus novos sites institucionais. Os dois museus adotaram o novo modelo do site do Ibram, seguindo o padrão de identidade visual da autarquia e se adequando aos padrões determinados pelo Governo Federal. Ambos já disponibilizavam seus acervos online em seus portais. O acervo online do Museu do Diamante está disponível por meio da plataforma Tainacan e o acervo digital do Museu Imperial está disponível por meio do projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Dami).

Fonte: Ibram

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31