RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Uma exposição inteira na palma da mão.


Foto: divulgação/Prefeitura RJ

Assim será a mostra digital de Trabalhos Finais de Graduação (TFGs) da Midiateca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FAU/UFRJ). Os projetos são relacionados ao tema central do 27º Congresso Mundial de Arquitetos – UIA2021RIO: ‘Todos os Mundos. Um só Mundo. Arquitetura 21’ e faz parte da programação do Rio Capital Mundial da Arquitetura – UNESCO.UIA.

O forte da Expo Midiateca FAU/UFRJ sempre foi a área digital, embora o plano fosse também fazer uma mostra física reduzida. Teria um QR Code para ser acessada no celular. Porém, em decorrência da necessidade de afastamento social imposto pela pandemia da Covid-19 no mundo, o desenho da exposição foi aprimorado e será exclusivamente virtual. A sequência de imagens será disposta de forma que o internauta percorra cada projeto em 360º.

Após oito meses analisando mais de 200 trabalhos finais do curso, a curadoria está entrando na fase final para o lançamento da Expo Midiateca FAU/UFRJ, que será no dia 17 de julho. Todos os projetos avaliados tiveram nota superior a 8.5 e foram apresentados entre 2017 e 2018. Desta forma, nenhum aluno direcionou intencionalmente o trabalho para o tema do Congresso, a fim de participar da mostra.

– Trata-se de expressão espontânea que reflete o interesse dos estudantes sobre as questões levantadas nos subtemas que “são interconectados, não são estanques” -, esclarece Wanda Vilhena, arquiteta e urbanista professora da FAU/UFRJ, que coordena a Midiateca.

Quatro eixos
A equipe de seleção é formada por três professores orientadores e quatro monitores. Integrarão a exposição 40 trabalhos distribuídos em quatro eixos temáticos: ‘(1) Diversidade e Mistura’, ‘(2) Mudanças e Emergências’, ‘(3) Fragilidades e Desigualdades’, e ‘(4) Transitoriedades e Fluxos’.

O eixo 1, 'Diversidade e mistura', aborda temas relacionados à diversidade racial, de gênero, etc. O segundo, trata de tecnologia, mudanças climáticas, o que provoca reação na arquitetura e no urbanismo. Já o tema ‘Fragilidades e Desigualdades’ é o que aborda de forma mais forte a questão social, comunidades, precariedades. O último item se refere mais a correntes migratórias,e fugas e também a mobilidade.

– Há trabalhos transversais aos diversos temas, podendo, por vezes, estarem mais aderentes a um ou mais eixos -, explica Wanda.

Projeto já premiado
Um dos projetos selecionados é de Alyne Bell da Silva, apresentado no segundo semestre de 2018 (foto do alto): ‘Biblioteca para portadores de deficiência visual conectada ao instituto Benjamin Constant’, que pode ser visto através do link (http://www.midiateca.fau.ufrj.br/?p=projetos&id=1862&busca=%Alyne%bell%da%silva%&pg=1). Está relacionado ao eixo 1 (Diversidade e Mistura) e já ganhou pelo menos dois prêmios de arquitetura. O tema foca na necessidade de uma nova biblioteca para o Instituto Benjamin Constant, para deficientes visuais, na Urca, bairro do Rio de Janeiro. A proposta engloba a problemática e apresenta soluções desde a entrada no prédio.

Equipe responsável
Professores Wanda Vilhena – Prof. FAU/UFRJ e Coordenadora da Midiateca da FAU/UFRJ; Rodrigo Cury – Prof. FAU/UFRJ Vice Coordenador da Midiateca da FAU/UFRJ; Rodrigo Kamimura – Prof. FAU/UFRJ Vice Coordenador da Midiateca da FAU/UFRJ; e quatro monitores: Jean Waise, João Sobral, Lucas Pacheco e Tatiana Pinheiro.

Fonte: Prefeitura do RJ

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31