SÃO PAULO, São Paulo - A exposição Apagamentos, do artista Thiago Navas, debate o papel do patrimônio histórico urbano da capital paulista, na Caixa Cultural São Paulo, a partir de 16 de julho.

Com curadoria de Paulo Gallina, a mostra reúne mais de 40 obras sobre a valorização e manutenção desse patrimônio paulistano.

“Especialmente no caso de Thiago Navas, cuja obra se insere no presente enquanto proposição, a memória é assumida como contexto cultural formador do hoje”, disse o curador, que pretende que a mostra seja um meio de “ativar a cidade enquanto espaço de memória e encontro”.

O público poderá conhecer desenhos inéditos do artista. O material é mais uma ferramenta de reaproximação das pessoas com a cidade de São Paulo, a fim de resgatar memórias. Navas trabalha em cima de fotografias com imagens antigas de diversos pontos da cidade.

“[O artista] deixa um rastro forjado com apagamentos e encobrimentos. A apropriação fotográfica se torna uma ferramenta de aproximação dos indivíduos à obra e à cidade, a um só tempo, perdidas no passado e em imagens agora trabalhadas pelo artista”, explicou Gallina.

Navas acredita que, observando a exposição, os visitantes vão se aproximar de sua própria cidade, a qual vive uma rápida transformação em sua paisagem. “A modificação do tecido urbano altera o modo de vida das pessoas. Com a velocidade com que essas transformações ocorrem, não é dado tempo às pessoas de absorverem essas mudanças, e isso cria um distanciamento entre elas e os lugares em que vivem”.

Na abertura da exposição, no dia 16 de julho, às 11h, o artista Thiago Navas e o curador Paulo Gallina, farão uma visita guiada com o público.

A exposição tem entrada gratuita e ficará em cartaz até 25 de setembro na Caixa Cultural São Paulo, localizada na Praça da Sé, região central da cidade.

Fonte: Agência Brasil - Camila Boehm

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31