BAHIA, Salvador - O Governo da Bahia publicou, nesta quarta-feira (03), o decreto que reconhece o prédio do antigo Colégio Nossa Senhora da Vitória – Marista, situado na Rua Araújo Pinho, no bairro do Canela, em Salvador, como patrimônio cultural material do estado.

Foto: divulgação

A solicitação do tombamento foi feita pela Associação de Pais da escola ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), autarquia vinculada a Secretaria de Cultura da Bahia (Secult-BA).

O tombamento provisório ocorreu em 2008, após o Ipac encaminhar o dossiê ao Conselho Estadual de Cultura, com o estudo sobre o valor histórico, arquitetônico e simbólico da edificação. O processo da solicitação aguardava a homologação através do decreto de tombamento definitivo do bem cultural.

“O reconhecimento definitivo contribui na preservação e valorização da arquitetura do estado. É um dever do Ipac salvaguardar patrimônios culturais materiais e imateriais, conscientizando a população da importância de cuidar dos nossos bens culturais”, destaca o diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira.

O prédio do Marista é um exemplar da arquitetura tradicional da primeira metade do século XX. Sua estrutura primitiva foi edificada em 1911, para atender ao Programa Educacional Marista, fundado na França. A primeira intervenção no prédio ocorreu no ano de 1926, com reformas para atender ao crescimento da demanda de alunos ao longo dos anos. Em 1937, o imóvel foi ampliado, totalizando aproximadamente 12.321 m². Passaram pelo Colégio Marista artistas, políticos, personalidades da Bahia. Dentre os ex-alunos ilustres, estão Gilberto Gil e Nizan Guanaes.

Atualmente, a edificação é ocupada pela Reitoria do Instituto Federal da Bahia (Ifba). Segundo o pró-reitor de Desenvolvimento Institucional (Prodin), Roger Ramos Santana, “o Ifba se sente honrado em ter sua reitoria funcionando em um espaço que foi tombado, haja vista que o tombamento indica que o imóvel representa algo de valor para a comunidade e que está sendo preservado através do Ipac”.

Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) - Autarquia do Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC coordena atualmente a proteção de 186 bens culturais na Bahia, sendo 100 em caráter definitivo e dois perímetros urbanos. Em 2019, o IPAC completará, na data de 13 de setembro, 52 anos de serviços prestados à história, à memória e à sociedade da Bahia, sendo referência no Brasil como órgão pioneiro no país em defesa dos bens culturais materiais e imateriais.

Fonte: IPAC

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31