SÃO PAULO, São Paulo - Desta terça-feira, dia 12, até domingo, dia 17, o Museu de Zoologia da USP promove a Semana Darwin, que ocorre anualmente em comemoração ao aniversário do naturalista inglês Charles Darwin, autor da teoria da evolução das espécies, que nasceu em 12 de fevereiro de 1809 – portanto, há exatos 210 anos.

Cartaz da Semana Darwin no Museu de Zoologia da USP – Ilustração a partir dos subsídios gráficos de divulgação / Museu de Zoologia

Nos seis dias do evento, haverá diversas atividades gratuitas, como palestras, jogos, oficinas e mesas-redondas, desde a manhã até a noite.

As mesas-redondas serão realizadas sempre à noite, das 19h às 21h30. Elas também são gratuitas, mas é preciso fazer inscrição prévia. A primeira delas, que acontece nesta terça-feira, dia 12, tem como título Origem 160, em referência ao aniversário de publicação de Sobre a Origem das Espécies, de Darwin. Confirmaram presença os professores Pedro Paulo Pimenta, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que falará sobre As Muitas Línguas da História Natural, e Nélio Bizzo, da Faculdade de Educação da USP, um dos maiores especialistas em Darwin do Brasil, que abordará as traduções da obra original na fala 514 Tons de Cinza: Notas de uma Traição?. A mediação fica por conta do diretor do Museu de Zoologia, professor Mario de Pinna. Para essa mesa-redonda, as vagas estão esgotadas. É possível ficar em fila de espera, através deste link.

Na quarta-feira, dia 13, a discussão terá como tema Seleção Sexual. A professora Jaroslava Varella Valentova, do Instituto de Psicologia da USP, participará do encontro com a fala Homossexualidade – Um Mistério para o Pensamento Darwinista? e o professor Marco Antonio Varella, também do Instituto de Psicologia da USP, discutirá o tema Seleção Sexual e as Manifestações Artísticas em Humanos e Outros Animais, com a mediação da doutoranda Letizia Migliore, do Museu de Zoologia (inscrição em fila de espera neste link).

Evolução: Genes e Cultura é o assunto da mesa-redonda que ocorrerá no dia 14, quinta-feira. Os participantes serão os professores Diogo Meyer, do Instituto de Biociências da USP, que falará sobre Diversidade Genética de Humanos, e Eduardo Ottoni, do Instituto de Psicologia da USP, que abordará o tema Cultura, Biologia e Evolução. A mediação será de Bruno Ziberman, do Museu de Zoologia (inscrição em fila de espera neste link).

A última mesa-redonda, no dia 15, será sobre Evolução da Cultura e Cognição. Sob a mediação de Fábio Nascimento, do Museu de Zoologia, a professora Ana Luiza Navas, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, falará sobre o assunto com foco na temática da Evolução Cultural: Evidências a Partir do Desenvolvimento da Linguagem Oral e Aprendizagem de Leitura. Já a professora Patrícia Izar, do Instituto de Psicologia da USP, participará com a fala Cultura Ampliando a Biologia: o Uso de Ferramentas por Macacos-Prego. As inscrições ainda podem ser feitas neste link.

Crianças
As crianças também poderão se divertir, durante a Semana Darwin, com diversas oficinas preparadas para elas. Uma delas será a Oficina de Desenho e de Máscaras, previstas para os dias 16 e 17, das 10h30 às 12 horas, e também a Caçada no Museu, que ocorre dos dias 13 a 17, também das 10h30 às 12 horas. “Para o Dia de Darwin, queríamos que fosse um evento que pudesse agregar os interesses dos pais, dos filhos e de todo mundo que vier ao museu”, afirma a professora do Museu de Zoologia da USP Maria Isabel Landim, coordenadora da Semana Darwin. “Como ele sempre ocorre próximo ao Carnaval, a gente faz uma brincadeira tradicional, que é a de colorir as máscaras de Charles Darwin e de Emma, a esposa dele. Além disso, fazemos sempre essa Caçada no Museu, espalhando tarefas ao longo do espaço para que os visitantes cumpram os desafios propostos.”

As crianças podem aprender sobre a teoria evolucionista através de brincadeiras preparadas pela equipe do Museu de Zoologia (Foto: Divulgação / Museu de Zoologia)

Haverá ainda palestras sobre assuntos variados relacionados às teorias darwinianas, assim como sobre a pesquisa científica na atualidade. Os youtubers e idealizadores do portal Colecionadores de Ossos estarão presentes no sábado, das 15h às 17h, e discutirão a respeito das transformações da ciência na modernidade, através da exposição Caiu na Rede é Peixe? Os Desafios da Divulgação Científica na Internet.

Neste ano, as homenagens ao naturalista inglês não serão restritas a uma semana apenas. O Museu de Zoologia realizará atividades em todos os meses de 2019, motivado pelo fato de que, neste ano, o livro Sobre a Origem das Espécies completa 160 anos de publicação. A decisão de alongar o período de atividades se deu também em função do crescente conservadorismo observado no cenário nacional, acrescenta a professora Maria Isabel. “Precisamos conversar com o público sobre a pesquisa científica, sobre a teoria da evolução, porque é o único caminho que temos para cumprir de forma eficaz a nossa principal missão, que é a preservação da biodiversidade.”

O objetivo da Semana Darwin é fazer o visitante pensar sobre a espécie humana e sobre a importância dos estudos sobre a evolução, destaca Maria Isabel. O evento é um prolongamento de uma celebração mundial, o Darwin Day, que ocorre em várias instituições acadêmicas desde os anos 1990, motivado pela crescente onda de negação das teorias evolucionistas e expansão do criacionismo. Maria Isabel lembra a origem dessa comemoração no Brasil, em 2005: “Em 2004, a então governadora do Estado do Rio de Janeiro declarou aos jornais que não acreditava na teoria da evolução. A partir disso, alguns alunos de pós-graduação decidiram que aquele acontecimento não poderia passar em branco. Então, eu e outros estudiosos do assunto fomos ao Rio de Janeiro, num sábado de carnaval, e falamos sobre a lógica do pensamento evolutivo para o público de uma livraria. Foi um evento grande, com mais de 300 pessoas e ampla cobertura dos jornais do Rio e de São Paulo. A partir disso, a cobrança em fazer um Darwin Day também em São Paulo cresceu, e assim surgiu essa tradição no Museu de Zoologia da USP”.

A Semana Darwin é promovida pela Divisão de Difusão Cultural do Programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade do Museu de Zoologia e do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Educação, Divulgação e Epistemologia da Evolução Biológica (Edevo-Darwin) da USP.

A Semana Darwin ocorre no Museu de Zoologia da USP, localizado na Avenida Nazaré, 481, Ipiranga, em São Paulo. A programação completa está disponível na página do Museu de Zoologia da USP no Facebook. Mais informações no site do Museu de Zoologia da USP.

Fonte: Jornal da USP - Laura Alegre

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31