MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Belo Horizonte, recebe, nesta segunda-feira, 26 de novembro, o lançamento de duas publicações de fundamental importância para o resgate do patrimônio turístico, cultural e literário de Minas Gerais: o Guia Cultural do Serro e o Setenário das Dores de Nossa Senhora, uma reedição da obra publicada em 1899 pelo poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens.


Foto: divulgação/ SEC MG

O evento, que contará com a presença do secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais, Angelo Oswaldo de Araújo Santos e representantes da família do poeta, tem início às 19h, no Teatro José Aparecido de Oliveira, na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Praça da Liberdade, 21 – Funcionários). Ambas as publicações são da editora Casa Sol Invictus.

De acordo com o secretário Angelo Oswaldo, “Alphonsus de Guimaraens une as cidades de Ouro Preto, Conceição do Mato Dentro e Mariana, nas quais viveu a infância, a maturidade e o desfecho de sua breve existência. O Serro, antiga Vila do Príncipe, ilumina-se com a poesia do grande simbolista para revelar a riqueza de seu patrimônio artístico e a religiosidade de suas tradições. É emocionante sentir no verso de Alphonsus a síntese do sentimento mais profundo de Minas”.

Guia Cultural do Serro
O Guia Cultural do Serro dá início à série Circuito Cultural do Diamante, que englobará, ainda, os guias culturais de Conceição do Mato Dentro e Diamantina/Minas Novas, todos baseados na atualização da pesquisa feita pelo escritor Affonso Ávila, que, entre 1978 e 1981, comandou uma expedição de especialistas seguindo os passos do famoso naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire em sua passagem pela região mineradora de diamantes – composta por 24 cidades.

“O Guia Cultural do Serro é uma publicação que, de certo modo, presta uma homenagem ao grande naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, que, dois séculos atrás, passou pela região do Serro, na época a maior Comarca de Minas Gerais, revelando os tesouros culturais existentes e bem preservados até hoje. Na década de 1970, outro grande intelectual mineiro, Affonso Ávila, fez o mesmo percurso levantando os monumentos históricos, arquitetônicos e artísticos dessa região a que ele denominou Circuito do Diamante. Por fim, nossa publicação é uma continuidade do trabalho desses dois personagens, atualizando a pesquisa e ampliando os bens culturais registrados. Mantivemos o trabalho sério de pesquisa histórica e modernizamos o formato de divulgação, adotando uma linha editorial mais próxima dos guias de viagem, com farta ilustração e informações turísticas”, explica Antônio Nahas Junior, organizador do Guia Cultural do Serro e vice-presidente da Casa Sol Invictus.

A publicação traz o histórico da chegada dos primeiros bandeirantes até os dias de hoje. O Guia dá destaque aos monumentos históricos, arquitetônicos, artísticos e para as manifestações do patrimônio imaterial, como celebrações, festas, modos de fazer e gastronomia, não apenas do Serro e seus distritos (Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras e Mato Grosso), como dos municípios de Alvorada de Minas, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas, Serro e Rio Vermelho. Para a elaboração dos textos, mapas ilustrações e imagens, foi realizada uma vasta pesquisa histórica, bibliográfica e de campo, durante um ano de atividades.

Foto: divulgação/ SEC MG

Setenário das Dores de Nossa Senhora
O Setenário das Dores de Nossa Senhora refere-se ao conjunto das cenas dolorosas na vida de Maria, mãe de Jesus, citadas nos Evangelhos. A devoção a estas dores foi incentivada pelo papa Bento XIII, em 1727. Em Portugal, foi organizada pela Congregação do Oratório, por meio do qual chegou a Vila Rica, hoje Ouro Preto, ainda no século XVIII. Tornou-se uma das mais populares tradições religiosas de Minas Gerais. O rito do setenário ocorre durante os sete dias que antecedem a Semana Santa.

Esta devoção inspirou muito dos maiores artistas mineiros em todos os campos da arte. São várias as composições musicais para o hino Stabat Mater, que descreve, especificamente, a quinta dor. Também são várias as representações destas cenas na imaginária e na decoração dos tempos mineiros. Por fim, na literatura, esta devoção atinge o seu ápice na obra Setenário das Dores de Nossa Senhora, do poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens (1870-1921), que ganha agora a terceira edição pela editora Casa Sol Invictus.

Nascido em Ouro Preto e tendo vivido também em Conceição do Mato Dentro e Mariana, Alphonsus de Guimaraens é considerado, por estudiosos, o maior poeta espiritualista cristão em Língua Portuguesa. Sendo, ainda hoje, pouco conhecido do grande público, o propósito desta edição, que faz parte do projeto Oratório do Verbo Barroco, é divulgar esta que é a obra magna do poeta. Trata-se de um conjunto de 51 sonetos, sendo sete para cada uma das Dores de Nossa Senhora, mais uma antífona (introdução a um canto religioso) e uma epífona (encerramento).

A Editora
A Casa Sol Invictus é um núcleo de produção cultural focado na divulgação e salvaguarda do Patrimônio Cultural Mineiro. No caso da reedição do Setenário das Dores de Nossa Senhora, obra-prima do poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens, patrono da Academia Mineira de Letras e pouco conhecido em Minas, o foco é o Patrimônio Imaterial representado pela Literatura de inspiração religiosa do poeta e sua referência às Celebrações de Nossa Senhora ou Festas Marianas que, ainda hoje, são as mais populares e tradicionais manifestações da religiosidade mineira e que formam a base da nossa cultura.

Fonte: SEC MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31