SÃO PAULO, São Paulo - Sozinha entre políticos de cartolas, a menina que brinca com o ar parece estar em busca de um chapéu para si.

'Pé Ante pé', 1960. Série Brasília, de Alberto Ferreira (Foto: divulgação)

Sobre um quebra-cabeça de dimensões monumentais, trabalhadores curvam-se ao chão, numa montagem minuciosa daquela que viria a ser capital do País. Encaixam, uma a uma, as pedras portuguesas sobre o cerrado que ali existia até então. Essas são algumas das cenas captadas e reveladas por Alberto Ferreira (1932 – 2007), fotógrafo homenageado pela exposição 'Intuição do Instante', em cartaz na Galeria Lume entre 2 e 29 de agosto.

Com curadoria de Paulo Kassab Jr., a mostra apresenta ao público 15 obras do fotógrafo – nove delas inéditas, redescobertas recentemente de seu acervo. "Alberto Ferreira tinha a intuição que faz com que os grandes fotógrafos prevejam os fatos frações de segundos antes de acontecerem. Recortou cada segundo dos lugares por onde passou para tornar cada uma de suas fotografias cada uma imagem definitiva", afirma o curador.

Fotógrafo compulsivo, Ferreira encarava a fotografia como estilo de vida. Interessava-se por histórias era atento aos detalhes que passam despercebidos por olhos apressados. Com seu olhar sensível e sutil, traçou uma carreira bem-sucedida, registrando importantes acontecimentos do Brasil e do mundo.

Na imagem Pé Ante Pé (1960), da série Brasília, trabalhadores fazem uma pausa na construção do que é, hoje, a capital federal. Seus pés, refletidos, repousam sobre as nuvens. Na contramão do otimismo que prevalecia no país em torno de Brasília, Alberto não se deixava iludir pelo projeto e, seus ângulos, revelam um posicionamento um tanto crítico. Enquanto as lentes de seus pares se voltavam apenas para os prédios e monumentos de uma cidade suntuosa, ele registrava, também, os bastidores nada idílicos dessa construção.

Paraibano de Campina Grande, Ferreira emigrou para o Rio de Janeiro na década de 1950 em busca de mais e melhores oportunidades. Por isso, se identificava com os candangos, figuras quase onipresentes em suas imagens.

Intuição do Instante traz também recortes de outros momentos importantes do percurso de Ferreira. É o caso da célebre fotografia Bicicleta do Pelé, um de seus registros mais conhecidos. Clicada com uma Leica M3, a imagem mostra o jogador em meio ao lance num jogo do Brasil contra Bélgica, na Copa de 1965. A foto integra, inclusive, a coleção da Maison Européenne de la Photographie (MEP), respeitada instituição francesa dedicada à fotografia contemporânea.

Sobre o artista
Nascido em 1932 em Campina Grande, na Paraíba, Alberto Ferreira Lima foi um dos precursores da fotografia documental do Brasil. Trabalhou por 30 anos no Jornal do Brasil e cobriu importantes acontecimentos da história do País e do mundo.

É de sua autoria o maior acervo de fotos da construção e inauguração de Brasília. De 1958 até a abertura da nova capital do país, em 21 de abril de 1960, Ferreira esteve por diversas vezes na cidade acompanhando a Condessa Pereira Carneiro, então diretora-presidente do Jornal do Brasil. Na época, somente as imagens das visitas de cortesia ao então presidente Juscelino Kubitschek foram publicadas pelo veículo. As demais, sobretudo a documentação da vida e trabalho dos candangos, começaram a ser divulgados em 2003, no ano do Brasil da França, na mostra Brasília, uma Metáfora da Liberdade.

O fotógrafo é também um dos maiores nomes do fotojornalismo esportivo. Ao longo de sua carreira, registrou inúmeros eventos, dos quais se destacam Olimpíadas de Moscou, em 1980, e seis edições consecutivas da Copa do Mundo – a de 1962, no Chile, lhe rendeu o prêmio Esso de Fotografia do ano seguinte por um registro de Pelé no exato momento em que sente uma contusão que o afastou definitivamente do mundial.

Distinguiu-se entre seus pares em eventos esportivos, mas foi notável também em outras áreas, como na cobertura do concurso Miss Universo, em Miami, em 1963; e do funeral de Bob Kennedy, em Washington, em 1968 – a seu ver, um dos momentos mais emocionantes de sua carreira.

Em 2005, Alberto Ferreira foi considerado pela Maisom Européene de la Photographie como um dos 28 maiores fotógrafos do século. Ao seu lado, nomes de peso como Sebastião Salgado, Henri Cartier Bresson, Robert Doisneau, Edouard Boubat e Pierre Verger. Em 2010, participou da exposição Autour de L'Extreme no MEP, que veio ao Brasil em 2011, depois de uma parceria da instituição com o Instituto Moreira Salles.

Alberto Ferreira faleceu em 2007, deixando para trás um acervo que reúne em torno de 20 mil imagens. Destas, uma porção de materiais inéditos, considerados pelo próprio autor como a verdadeira expressão de sua obra. O material fotográfico está digitalizado e atualmente passa por um trabalho curatorial, para que possa ser apresentado em livros e em outras exposições no Brasil e mundo afora.

Serviço
'Intuição do Instante', de Alberto Ferreira
Local: Galeria Lume
Abertura: 2 de agosto (quinta-feira), a partir das 19h
Período expositivo: de 3 até 29 de agosto
Endereço: Rua Gumercindo Saraiva, 54 - Jardim Europa, São Paulo
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h | sábados, das 11h às 15h
Telefone: (11) 4883-0351

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31