SÃO PAULO, São Paulo - Uma exposição interativa em São Paulo proporciona uma imersão na obra do arquiteto Oscar Niemeyer, um dos mais premiados profissionais da área no século passado.

Menina toma contato com a obra do arquiteto, na mostra interativa Niemeyer Sensorial (Rovena Rosa/Agência Brasil)

A mostra ocupa área de mais de 250 metros quadrados e é dividida em seis temas e apresenta diferentes características da obra de Niemeyer, narradas na própria voz do arquiteto. A exposição sensorial é totalmente gratuita e fica aberta até 19 de agosto no Shopping Pátio Higienópolis, na zona oeste de São Paulo.

Croquis, fotos de suas obras prontas, recursos cenográficos, visuais e áudio estão presentes nas seis estações temáticas da exposição: Um Sopro, Praça das Curvas, Mente Criativa, Sentindo as Formas, Viagem Imersiva e Partilha de Experiência.

Entre as obras presentes destacam-se o Conjunto Ibirapuera, o Edifício Copan e o Memorial da América Latina, em São Paulo; o Conjunto Arquitetônico de Brasília; o prédio das Nações Unidas, em Nova York, e a sede do Partido Comunista Francês, em Paris, além de desenhos, gravuras, móveis, esculturas e livros. O arquiteto morreu em 2012, aos 104, no Rio de Janeiro.

Estações
No trecho denominado Um Sopro, o visitante conta com recursos de vídeo e áudio, e encontra croquis que se “constroem” aos olhos de cada um. Tudo é narrado pelo próprio Niemeyer, que mostra sua forma de criar por meio dos croquis do Conjunto Ibirapuera, do Palácio do Planalto, em Brasília, do Memorial da América Latina e do Edifício Copan, em São Paulo, e do Centro Cultural de Le Havre, em Paris.

Na Praça das Curvas, a cenografia leva o visitante a um espelho d’água com cinco réplicas de 1 a 15 metros de altura e croquis. A imagem central é a gravura da mão com a flor. As outras fazem parte de quatro fases diferentes da obra do arquiteto: Conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte, Brasília, Internacional e Projetos Mais Recentes.

Já o espaço Mente Criativa traz projetos desenhados, mas não executados ou executados recentemente. Na exposição, esses projetos estão guardados em uma gaveta virtual e, ao abri-la, o visitante vê obras como o Museu de Arte Moderna, em Caracas, Ponte em Veneza e Mesquita em Argel.

Na quarta parte da mostra, o visitante pode tocar os traços, formas e texturas do arquiteto. Na estação Sentindo as Formas, estão as obras do Congresso Nacional e do Palácio da Alvorada, em Brasília; Praça da Apoteose (Sambódromo), no Rio de Janeiro, a sede da Editora Mondadori, em Milão, na Itália, do MAC, em Niterói (RJ) e da Igreja São Francisco de Assis, em Belo Horizonte, foram transformados em esculturas e em alto-relevo.

Na Viagem Imersiva, o visitante participa de um voo virtual em um drone do qual vê 10 obras de Niemeyer nas cidades do Rio de Janeiro e de Niterói. Na sexta e última etapa da exposição, a Partilha de Experiências, há um cenário com textos e fotos sobre a vida e a obra de Oscar Niemeyer. As imagens poderão ser captadas por aplicativos de celulares para memória dos visitantes.

Fonte: Agência Brasil - Flávia Albuquerque

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31