MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Seis centros de cultura da UFMG – Espaço do Conhecimento, Museu Casa Padre Toledo, Museu de História Natural e Jardim Botânico, Museu de Ciências Morfológicas, Centro de Memória da Medicina e Museu Itinerante Ponto UFMG –prepararam atividades especiais para a Semana de Museus, que começou segunda-feira, dia 14, e vai até domingo, 20.

Uso da tecnologia em museus desafia gestores (Alice Sá / Espaço do Conhecimento UFMG)

O evento, coordenado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), tem objetivo de promover, divulgar, valorizar e intensificar a relação dos museus com a sociedade. Em todo o Brasil, 1.130 instituições oferecerão atividades especiais aos seus visitantes. O tema deste ano, Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos, propõe uma aproximação entre os museus e seus públicos a partir do uso da tecnologia. O Dia Internacional do Museu é comemorado em 18 de maio.

São oferecidas atividades diversas que, de alguma forma, interagem com as tecnologias. Exposições, debates, palestras, oficinas, intervenções audiovisuais estão entre as ações abertas para a população.

Tecnologia como aliada
O Espaço do Conhecimento programou atividades em sintonia com o tema da Semana. A fachada digital se transforma, até o dia 20, em uma janela virtual, por meio da qual mediadores explicam aspectos das exposições em cartaz. A intervenção ocorre às 19h e 20h. Pedestres e motoristas terão a oportunidade de explorar um pouco das exposições mesmo sem nunca terem entrado no prédio.

No workshop Interfaces híbridas: conexões e coleções, que será realizado nos dias 17 e 18 de maio, das 14h às 18h, a professora Fernanda Duarte, do Departamento de Comunicação da UFMG, vai discutir possibilidades da expansão da comunicação digital, como novas interfaces e aplicativos móveis. A ampliação da comunicação digital para além do modelo tradicional traz outras possibilidades, como interfaces informacionais manipuláveis e aplicativos móveis.

No sábado, dia 19, será realizada o oficina Olhares cruzados, na qual crianças poderão compartilhar stories no Instagram oficial do museu (@espacoufmg) com suas impressões sobre o passeio. A atividade ocorre das 15h às 16h.

No mesmo dia, às 14h, está agendada a oficina Relógio do Sol. A partir da sombra projetada pelo Sol e tendo como referência os pontos cardeais, o público vai determinar a hora solar e, com auxílio de uma tabela, poderá ajustá-la de acordo com nossos relógios. O material para confecção do aparelho será disponibilizado nos meios de comunicação do Espaço. A oficina se repete no dia seguinte, 20 de maio, às 15h.

A programação do Espaço teve início no último sábado, 12, quando a professora Ana Cecília Veiga, da Escola de Ciência da Informação (ECI), e o professor Bernardo Jefferson de Oliveira, da Faculdade de Educação (FaE), falaram sobre a inserção, estratégias e desafios do uso de tecnologias nos museus.

Nesta quinta-feira, 17, a professora Ana Cecília Veiga continuará a discutir o assunto na palestra Museus virtuais: desafios e vantagens para profissionais, instituições e patrocinadores, na Escola de Ciência da Informação (sala 100), campus Pampulha. O bate-papo, que começa às 9h, versará sobre o investimento de museus na criação de websites.

Vida no entorno
Situado na movimentada região hospitalar da capital mineira, o Centro de Memória da Medicina (Cememor) promove a exposição de fotografias Nós outros – a vida no entorno do campus Saúde, que retrata a população que interage, vive e trabalha nas imediações do campus Saúde. As fotografias ficam expostas no hall de entrada da Faculdade de Medicina até 18 de maio. No Corredor da Memória, onde se localiza o Cememor, displays digitais projetam o conteúdo dessa exposição até 30 de maio, das 7h às 17h.

Corpo em conexão
Conexões não é atributo exclusivo do mundo digital. O Museu de Ciências Morfológicas (MCM) se propõe a mostrar que o organismo humano também é um emaranhado de conexões. Compreender caminhos e associações corporais pode auxiliar as pessoas a desenvolver hábitos que favoreçam o funcionamento saudável do organismo. A exposição autoexplicativa MCM: o corpo humano como patrimônio “hiperconectado” orienta os visitantes a reconhecer as relações entre os sistemas orgânicos. Aberta até 18 de maio, pode ser visitada das 8h às 12h e das 13h30h às 17h.

Outra atividade oferecida pelo MCM durante a semana é a Gincana do corpo humano, na qual equipe de mediadores promove atividades lúdicas com as turmas escolares inscritas previamente.

Brincando de aprender
O Museu Itinerante Ponto UFMG é um espaço científico-cultural, interativo, adaptado em uma unidade móvel que atende várias escolas. Mesmo com o caminhão em reforma, sua equipe montou exposição com alguns de seus experimentos científicos no segundo andar do Centro Pedagógico (CP). Ela pode ser vista até sexta-feira, 18 de maio, das 9h às 12h e das 13h às 15h. Os visitantes receberão o apoio de mediadores e poderão interagir e manusear experimentos que estimulam o conhecimento nas mais diversas áreas do conhecimento.

Espaço Interativo Ciências da Vida:
Preservar para conhecer
O Museu de História Natural e Jardim Botânico (MHNJB), localizado no bairro Santa Inês, oferece programação especial nos dias 16 e 19 de maio. No primeiro dia haverá visita mediada ao Espaço Interativo de Ciências da Vida (EICV), às 10h. O EICV oferece conteúdo científico sobre o corpo humano e a possibilidade de experimentar suas funções em jogos e atividades interativas. Em uma aventura lúdica, o visitante se conscientiza sobre o corpo, os estímulos e suas respostas sensoriais e motoras.

No período tarde, às 14h, profissionais das áreas de arqueologia, museologia, conservação e restauração vão apresentar e discutir o acervo do museu. A construção do acervo ao longo dos anos e os procedimentos adotados para preservá-lo serão apresentados pelos especialistas.

No dia 19 de maio, às 17h30, haverá a Lua Cheia no Museu: caminhada noturna e mostra científica. A visita inclui caminhada na mata, com bate-papo sobre diversos aspectos desse ambiente e uma mostra sobre répteis.

Cultura negra
No campus cultural de Tiradentes, o Museu Casa Padre Toledo e outras nove instituições da região se reuniram para propor uma programação especial para a Semana de Museus. Dessa parceria, nasceu o Elos de Liberdade. São 22 eventos programados de 14 a 26 de maio, nas cidades de São João del-Rei e Tiradentes, com o objetivo de retratar a presença, a resistência e a história da cultura afro-brasileira em Minas Gerais.

O Museu Casa Padre Toledo vai abrigar a exposição Tambores do rosário e Anastácia, sobre o Congado Nossa Senhora do Rosário e a Escrava Anastácia. Também compõem a programação, a oficina de ilustração com contação de histórias africanas Pequenos contos africanos, o teatro de fantoches Batuque na cozinha, que valoriza aspectos culturais africanos nos preparativos de uma festa de batizado, e a atividade Quem conta um conto aumenta um ponto, com provérbios transmitidos oralmente de geração a geração. Mais informações sobre essas atividades podem ser acessadas no Facebook do museu.

A programação nacional da Semana de Museus está disponível no site do Ibram.

Fonte: UFMG - Cláudia Amorim

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31