MINAS GERAIS, Belo Horizonte - A segunda sessão do “Letra em Cena. Como ler...”, programa literário do Centro Cultural Minas Tênis Clube (CCMTC), apresenta a obra da escritora paulista Hilda Hilst, dia 10 de abril (terça-feira), às 19h, no Café do Cultural.

A palestrante da noite será Eliane Robert de Moraes, professora de literatura da USP. Bruna Kalil Othero, poeta e atriz mineira, fará a leitura de trechos de livros de Hilda Hilst. As inscrições estão abertas, gratuitamente, no site da Sympla.

Hilda Hilst escreveu poesia, peças de teatro, cantatas e romances. Ela publicou mais de 40 títulos, alguns traduzidos para inglês, alemão, francês e espanhol, e ganhou vários prêmios de literatura. Segundo Eliane Robert de Moraes, a principal característica das letras de Hilst é a experimentação de estilos literários. “É uma autora cuja produção passa pela poesia, pela prosa, pela dramaturgia e pela crônica, até chegar a formas e gêneros literários que são absolutamente inclassificáveis. Além disso, ela transita por formas e tons literários os mais diversos, indo do mais elevado lirismo até a mais deslavada pornografia. E consegue fazer tudo isso com singular maestria, valendo-se de uma voz própria, absolutamente particular”, afirma a professora. No início dos anos 1990, Hilda publicou livros com temática pornográfica, sendo “O Caderno Rosa de Lori Lamby”, o mais famoso.

Foto: divulgação

Eliane Robert explica que Hilda Hilst colocava seus sentimentos de forma muito clara em seus textos, nos quais suas emoções surgem de maneira transparente. “Muitas vezes, o leitor pode se sentir angustiado, ou sente que a autora está aflita. Cada um de nós participa, a seu modo, da aventura da noite e da imperfeição que a literatura de Hilda Hilst propõe. Alguns podem chamar isso de angústia, outros, de conhecimento; alguns podem chamar de loucura, outros, de lucidez, e assim por diante. Todo texto é um espaço de projeção, e nisso Hilda Hilst não difere de outros escritores”, afirma.

O conto “História do amor impossível de Ariana e Dionísio”, que faz parte do livro “Júbilo, memória, noviciado da paixão”, lançado em 1974, inspirou o álbum “Ode descontínua e remota para flauta e oboé - De Ariana para Dionísio”, lançado pelo cantor e compositor Zeca Baleiro, em 2005.

Sobre o Letra em Cena. Como ler...
Com curadoria do jornalista e escritor José Eduardo Gonçalves, desde sua primeira temporada, em 2016, o “Letra em Cena. Como ler…”, programa literário do Centro Cultural Minas Tênis Clube, apresenta para ao público grandes clássicos da literatura nacional de forma não acadêmica. Nas três primeiras temporadas foram analisados nome como Mário de Andrade por José Miguel Wisnick, Guimarães Rosa por Antônio Sérgio Bueno, Machado de Assis por Silviano Santiago, Ana Cristina César por Ítalo Moriconi, João Cabral de Melo Neto por Antônio Carlos Secchin, Clarice Lispector por Nádia Battella Gotlib, entre outros que levaram mais de cinco mil pessoas ao Café do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Em 2018 serão oito encontros com clássicos da literatura brasileira que contemplarão nomes como Jorge Amado, Afonso Ávila, Manoel Bandeira, Rubem Braga, Cecília Meireles e Manoel Bandeira.

Serviço
'Letra em cena. Como ler Hilda Hilst.'
Palestrante Eliane Robert de Moraes
Leitura de textos: Bruna Kalil
Data: 10 de abril (terça-feira).
Horário: 19h.
Local: Café do Centro Cultural Minas Tênis Clube.
Inscrições: Sympla
Classificação: livre.

Fonte: Ascom Minas Tênis Clube

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30