SÃO PAULO, São Paulo - Pesquisadores que integram o laboratório de arqueologia do Instituto Mamirauá realizaram, em janeiro e fevereiro, um resgate de vestígios arqueológicos no sítio UEA, na região do médio Solimões, no Amazonas.

O trabalho da equipe foi gravado em uma série na internet com imagens do fotógrafo e cinegrafista Adriano Gambarini.

Segundo o Instituto Mamirauá, as gravações acompanharam o dia a dia de uma grande expedição científica coordenada pelo Instituto Mamirauá e pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da USP em agosto de 2017. Uma equipe de pesquisadores brasileiros e estrangeiros investigou as dimensões espaciais e temporais da Boa Esperança, o segundo maior sítio arqueológico conhecido na região do médio Solimões.

Expedição arqueológica foi feita por pesquisadores na região do médio Solimões (Foto: Inst. Mamirauá)

Entre a rotina de escavações, coleta e análise de vestígios e conversas com a comunidade local, os arqueólogos contam um pouco sobre os preparativos da expedição, dados da cultura dos antigos povos que habitaram aquela região e como as recentes descobertas feitas pela arqueologia se conectam ao que já se sabe sobre o passado da Amazônia.

Foram coletados vestígios de ocupação humana ancestral, como camadas de “terra preta arqueológica” (também chamada de “terra preta de índio”), pedaços de cerâmica, carvões e material lítico (rochas e minerais).

Os pesquisadores consultaram fontes documentais, entrevistaram antigos moradores e visitaram espaços públicos e propriedades privadas com indícios de cultura material secular. Os levantamentos são feitos há mais de três anos e localizaram uma porção de sítios arqueológicos no perímetro urbano de Tefé.

Os vídeos podem ser assistidos no canal do Instituto Mamirauá no YouTube: www.youtube.com/user/InstitutoMamiraua

Mais informações: https://goo.gl/WhsmYy.

Fonte: Agência Fapesp

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31