SÃO PAULO, São Paulo - Você julga um livro pela capa? Didier Dias de Moraes defendeu tese de doutorado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP sobre o design das capas de exemplares didáticos no País.

Tendo como base as produções da Editora Ática durante as décadas de 1970 e 1980, Moraes examinou técnicas e estratégias para estabelecimento do que foi designado como uma “nova visualidade”. A tese virou livro e foi publicada pela Editora da USP (Edusp), com o título Design de Capas do Livro Didático — A editora Ática nos anos 1970 e 1980.

A obra de Moraes chega com argumentos que provam a importância imagética nos livros didáticos. Com foco nas capas, o estudioso afirma que o visual não deve ficar em segundo plano nas publicações.

A época escolhida para basear o estudo — a década de 1970 — não é aleatória. Foi naquela época que designers americanos começaram a trabalhar em torno do conceito chamado visual literacy — a competência de especialistas e espectadores de interpretarem mensagens visuais. Também no início da década mencionada, ao lado da consolidação das televisões, houve uma grande expansão da indústria cultural de massa e a chegada de novos movimentos jovens, colaborando ainda mais para reafirmar a importância das imagens.


“Eu me lembro do impacto causado pelo lançamento da revista Realidade em 1966, com páginas ilustradas em quantidade praticamente igual à das páginas de textos verbais”, cita o editor Jiro Takahashi, no prefácio do livro.

Além da minuciosa análise da página que mais importa em um livro — a primeira —, Moraes tem o cuidado de estudar todo o ambiente em que as capas estavam sendo produzidas. Caminhando das redações da Editora Ática ao cotidiano nacional, o pesquisador alinha fatos e necessidades — tanto internas quanto externas — para chegar naquilo que foi definido como o produto final e afirmar que as capas não eram produzidas casualmente.

No seu livro, Didier separa as capas documentadas em três categorias: tradicionais, novas e inovadoras. Cada grupo com seus padrões e diferentes relevâncias. O livro revela também análises de designers e técnicas como montagens fotográficas e fotografias, ilustrações e ilustrações de humor, referências e os cartuns.

Muito mais que um estudo, a publicação serve de registro para a memória editorial brasileira, reconhecida pelo autor em sua apresentação como “escassa”, uma vez que, no Brasil, raros são os livros que falam simplesmente sobre outros livros.

Livro: Design de Capas do Livro Didático
Didier Dias de Moraes
Edusp/Com Arte
296 páginas
R$ 68,00.

Fonte: Jornal da USP - Rafael Castino

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31