DISTRITO FEDERAL, Brasília - Cenário de diversas manifestações culturais e importante componente da paisagem do Centro Histórico da cidade de Laranjeiras (SE), a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito será entregue à comunidade, após passar por obra de restauração.

Financiada com recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a obra, que durou cerca de um ano, recuperou os elementos arquitetônicos e estruturais da edificação. A cerimônia de entrega ocorrerá no dia 24 de novembro, com a apresentação de grupos folclóricos de Cacumbi, Chegança e Taieira, além da Filarmônica Coração de Jesus.

A intervenção na igreja contemplou diversos serviços de restauração e recuperação arquitetônica. Foram realizados trabalhos de pintura; imunização; recuperação do assoalho em madeira; recuperação do telhado, inclusive com troca de madeiramento e reposição de telhas; tratamento da alvenaria; restauração das esquadrias em madeira; recuperação das escadas em madeira do Coro e Sacristia; restauração do guarda-corpo; e por fim, recuperação das instalações elétricas e iluminação.

Localizada no Morro do Bonfim, dentro do perímetro tombado pelo Iphan em Laranjeiras, a Igreja de São Benedito é um marcante elemento arquitetônico configurador da paisagem do centro histórico da cidade, destacando-se pela relação com as manifestações culturais locais. A igreja foi construída por escravos, na primeira metade do século XIX, e a própria estrutura arquitetônica já revela a questão da estratificação na sociedade sergipana à época, pois ali se concentravam as devoções e comemorações das tradicionais festas de reis. Assim, ainda hoje esse é o palco das maiores festas do folclore laranjeirense.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito (Foto: Acervo Iphan)

O município de Laranjeiras
Laranjeiras (SE)O conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico de Laranjeiras foi tombado pelo Iphan, em 1996, por seu valor arquitetônico e histórico. O tombamento levou em conta sua importância no desenvolvimento da região, identificado pela presença do primeiro porto, além da expressividade e da força da arquitetura antiga, representada pelo casario do século XIX e pelo cenário monumental religioso do século XVIII. O município é um dos poucos onde ainda se pode ver a força da arquitetura colonial, onde se destacam ruas, igrejas e outras edificações. Na área tombada estão, aproximadamente, 500 edificações.

Laranjeiras foi a mais importante cidade sergipana. As praças e ruas alinham-se, obedecendo ao traçado fluvial, onde estão implantados os principais edifícios, trapiches, sobrados comerciais e residenciais, mercado, centro administrativo e também as edificações destinadas ao lazer como os antigos Cine Teatro Iris e o Tetro Santo Antônio. Na cidade, destaca-se as igrejas, o estilo barroco da arquitetura, a paisagem e as grutas. O município surgiu em função do rio Cotinguiba e, sobre a encosta do Morro do Bonfim, a população estabeleceu suas residências.

O desenvolvimento econômico ocorreu com a chegada do cultivo da cana-de-açúcar, no século XVIII, gerando um apogeu financeiro que atraiu comerciantes de várias partes do Estado. Na época, existiam muitas laranjeiras no local que deram origem ao seu nome. Berço da economia da província, se destacou com o comércio de escravos, que deixaram uma forte influência na cultura local. No início do século XIX, a cidade ainda era muito importante como um grande centro comercial e exportador, o que levou o governo a designá-la como a primeira Alfândega de Sergipe.

Serviço
Entrega da obra de restauração da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito
Data: 24 de novembro de 2017, às 9h30;
Local: Rua José do Prado Franco, Centro, Laranjeiras (SE).

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31