RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A artista Jessica Kloosterman, muito ligada aos movimentos de rua e às intervenções urbanas, inaugura nesta terça-feira (12), na galeria Candido Mendes, em Ipanema, a exposição 'Torniquete', em que envolve a comunidade da Maré em suas peças.

A exposição contará com a intervenção Murus, além da videoinstalação Tambor, que ficará no teto da galeria. “Torniquete tem como objetivo pensar a relação de territórios, sejam eles simbólicos ou concretos, e suas possibilidades de atravessamentos pela arte e pela vida”, explica a artista. O evento tem curadoria de André Sheik, Bira Carvalho e Jorge Sayão,

Murus é uma obra que será levada para a abertura da mostra diretamente do Galpão Bela Maré, na Nova Holanda. Durante várias semanas, Jessica fotografou moradores da região caminhando nas ruas com cubos dourados na cabeça. Também nesta terça-feira (12), às 13h, haverá ação dos mototaxistas no local.

Em seguida, três motociclistas transportarão os cinco cubos de 30x30x30cm para Ipanema, onde ficarão expostos. “A ação Murus tem como objetivos interagir com os moradores de Ipanema e da Maré e trazer reflexões sobre o tema terra-território. O que seria a fronteira entre um espaço e outro?”, indaga a artista, que contou com a ajuda imprescindível de três grandes referências na Maré: o fotógrafo Bira Carvalho e os produtores Alexandre Silva (Observatório de Favelas) e Iury Lobo (Centro de Artes da Maré - CAM). “Eles foram fundamentais no desenvolvimento do ato”, comenta Jessica.

Já a videoinstalação Tambor é fruto de uma ação coletiva realizada em 2016, a partir de uma convocatória feita pela artista no Facebook. Vinte e seis pessoas caminharam nuas por uma hora, em silêncio, no sentido anti-horário, no ateliê de Jessica, em Ipanema. Ao ritmo das batidas de um tambor, os corpos em movimento foram filmados por oito câmeras de segurança instaladas no local. O resultado poderá ser visto pela primeira vez pelo público.

Sobre a artista
Jessica Kloosterman vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formada em design, a artista frequenta o curso de Artes Visuais na Escola de Belas Artes UFRJ, onde participou da Semana de Integração Acadêmica com o trabalho Marca-Passo, uma ação de caminhada de 22 km da Urca até a Ilha do Fundão e pernoite no jardim da Escola de Belas Artes com um grupo de 7 participantes. Realizou as exposições individuais “Objeto_Transitivo”, com curadoria de Ester Cunha; “Diálogos: Obra em III atos e Rateio”, organizado por André Sheik, Carolline Tinôco e Ester Cunha. Participou também das exposições “Ocupacarambola”, com curadoria de Márcio Zardo, da exposição “Inhábitus”, na Casa Kollor; da “Mosca ArtCom” e da “II Bienal da Escola de Belas Artes/UFRJ”. Seu ateliê, localizado em Ipanema, é ponto de encontro para artistas que mantém em seu trabalho um diálogo com a realidade social e urbana.

Os locais
A Galeria de Arte Maria de Lourdes Mendes de Almeida (Candido Mendes) fica na rua Joana Angélica, 63, em Ipanema. A entrada é gratuita. E o Galpão Bela Maré fica na Ra Bittencourt Sampaio, 169, na Maré, Nova Holanda.

Fonte: Jornal do Brasil

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31