MINAS GERAIS, Belo Horizonte - O acervo de Escritores Mineiros da UFMG (AEM) recebeu, no fim do mês de março, o acervo do professor e crítico teatral Sábato Magaldi, que morreu em julho do ano passado.

Formalizada ainda em vida, a doação foi realizada pela escritora Edla van Steen, viúva do crítico. Nas próximas semanas, o AEM também vai acolher o acervo do escritor Autran Dourado, que está sendo trazido para a UFMG graças ao apoio da Fapemig.

"O acervo de Sábato é importantíssimo para a área dos estudos teatrais. A sua biblioteca é única, há ali inúmeras obras raras. Provavelmente, entre seus livros está a melhor biblioteca sobre Nelson Rodrigues", exemplifica o professor Marcelino Rodrigues da Silva, diretor do Acervo de Escritores Mineiros e do Centro de Estudos Literários e Culturais da Faculdade de Letras.

(Foto: Foca Lisboa - UFMG)

De Sábato, o AEM recebeu, além de seis caixas de documentos – que contam com correspondências importantes, ainda não catalogadas – , o fardão e a espada do intelectual, que foi membro da Academia Brasileira de Letras, e objetos do seu ambiente de trabalho (mesa, cadeira e máquina de escrever). Também já estão em posse da UFMG alguns milhares de livros que compunham a biblioteca do teatrólogo. Agora, o trabalho dos profissionais do Acervo será o de contabilizar, organizar e catalogar todo o material recebido.

A doação dos arquivos foi intermediada por Wander Melo Miranda, professor aposentado da Faculdade de Letras e coordenador do projeto do Acervo de Escritores Mineiros. O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, facilitou os contatos com a família de Sábato. Assim que estiver catalogado, o acervo estará à disposição de pesquisadores interessados em perscrutar sua produção crítica.

Prata da casa
Ex-aluno da UFMG, Autran Dourado deixou registrado em testamento o desejo de que o seu acervo intelectual ficasse sob a guarda da Universidade após sua morte. Seus arquivos devem chegar à UFMG na segunda quinzena de abril. A negociação que resultou na vinda do acervo envolveu várias pessoas, entre elas o escritor e crítico Silviano Santiago, que propiciou as primeiras conversas com a família.

"Autran é um escritor importantíssimo", afirma o professor Reinaldo Marques, que também participou do processo de aquisição. "Fiz minha dissertação de mestrado sobre ele; vários acadêmicos desenvolveram trabalhos sobre sua obra. Em meados dos anos 1980, ele era um autor ‘cult’ nas universidades. Contudo, nos anos 1990, deu uma sumida. A chegada de seus arquivos possibilitará que sua obra seja lida e revitalizada à luz do contemporâneo", afirma.

O arquivo do escritor conta com cerca de dois mil documentos e uma biblioteca com cinco mil volumes, alguns raros. "E há documentos importantes relativos ao período em que Autran Dourado foi secretário de imprensa do presidente Juscelino Kubitschek, de 1958 a 1961, além de fontes documentais com potencial para incrementar pesquisas de crítica genética sobre sua obra e estudos de crítica biográfica e de recepção crítica", acrescenta Reinaldo Marques.

Wander Melo Miranda, que também trabalhou pela vinda do acervo, reitera a importância desse patrimônio literário. "Autran é um dos mais importantes escritores brasileiros modernos. Não poderia haver lugar mais adequado para acolher seus livros e documentos que o Acervo de Escritores Mineiros da UFMG. Além de ter nascido em Minas, tema central de sua obra, Autran foi aluno da Universidade."

Em conjunto com Eneida Maria de Souza – emérita da Faculdade de Letras, que, assim como Reinaldo Marques, fez sua dissertação de mestrado sobre Autran –, Wander Melo Miranda começa agora a investir na organização das cartas do autor. "Entre os seus originais, há correspondências com escritores, críticos, políticos e personalidades da área cultural. É um material vasto e importante", afirma.

Fonte: Boletim UFMG - Ewerton Martins Ribeiro

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31