DISTRITO FEDERAL, Brasília - O servidor público, produtor cultural e professor de danças sociais João Carlos Corrêa tomou posse, nesta quarta-feira (29), como coordenador de Difusão Cultural da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em Brasília.

À frente do órgão, Côrrea terá como desafios a reforma da Sala Cássia Eller, a interlocução com a sociedade civil e a retomada de projetos e editais.

Durante a solenidade, o novo coordenador disse que está "ansioso para arregaçar as mangas", além de feliz e honrado em assumir o cargo. "Temos uma luta há anos por equipamentos dignos em Brasília, que me trouxe aqui hoje. A luta não foi solitária e tenho certeza de que o trabalho a seguir não será de João Carlos, mas dos artistas, funcionários e servidores", afirmou. "As portas da Funarte estarão sempre abertas a todos e todas", completou.

A cerimônia contou com a presença do presidente da Funarte, Stepan Nercessian, do secretário de Articulação e Desenvolvimento Institucional do Ministério da Cultura (Sadi/MinC), Adão Cândido, e do secretário de Infraestrutura Cultural do MinC, Raimundo Benoni.

Sala Cássia Eller
O presidente da Funarte enfatizou a importância do diálogo, lembrou que os trabalhos da Funarte em Brasília estarão alinhados com os planos nacional da fundação e reiterou o compromisso do ministro da Cultura em reabrir a Sala Cássia Eller. "Temos que oferecer nossos locais para o público de cada região. Não tem sentido financiar, dar verbas, se não temos condições de receber público. Existe essa determinação do ministro", disse.

Stepan adiantou ainda que a ideia é fazer uma homenagem ao artista Ferreira Goulart ao nomear complexo cultural da Funarte em Brasília com o nome do poeta. Além disso, lembrou de alguns projetos em andamento na Funarte nacional, como o relançamento dos projetos Pixinguinha e Mambembão, iniciativas que marcaram época nas áreas de música e artes cênicas, respectivamente.

Avanços do MinC
O secretário de Articulação e Desenvolvimento Institucional do MinC, Adão Cândido, elogiou o novo coordenador da Funarte DF e afirmou que ele tem a missão de "colocar a casa em ordem". "João Carlos tem a liderança necessária para promover a interlocução com a sociedade civil e com o público cultural de Brasília e para desobstruir o debate em época de crise fiscal e de diminuição de verbas", disse.

Secretário Adão Cândido (em pé) destacou que João Carlos (esquerda) "tem a liderança necessária para promover a interlocução com a sociedade civil e com o público cultural de Brasília". Também na foto o secretário Raimundo Benoni (segundo da esquerda para a direita) e o presidente da Funarte, Stepan Nercessian (direita)

Cândido lembrou ainda que a atual gestão se esforça para manter o nível de financiamento e citou algumas medidas tomadas pelo MinC. "No Ministério, nos esforçamos para manter a Lei Rouanet, que é atacada pelo mau entendimento e pelo mau uso que foi feito em gestões anteriores e que colocou artistas e produtores sob suspeição. Nós entendemos a importância da Lei Rouanet e por isso lançamos as novas regras da Instrução Normativa para dar respostas a essas deficiências, fortalecendo o uso da lei", afirmou.
 
O secretário citou ainda algumas medidas tomadas pelo MinC, como a futura entrega do Teatro Nacional, uma das prioridade do ministro Roberto Freire, diante das carências existentes nos equipamentos culturais de Brasília. Sobre os projetos de reformas de equipamentos culturais empreendidos pelo MinC, o secretário Benoni falou da importância de promover a perenidade do uso dos espaços culturais. "O importante não é só entregar o equipamento, mas dar a capacidade de sustentabilidade para que as pessoas possam usufruir. Este é o grande desafio do MinC", disse.

Fonte: MinC

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31