SÃO PAULO, São Paulo - Por ocasião dos 130 anos do nascimento de Sebastiana de Mello Freire, chamada Dona Yayá, completados dia 21 de janeiro, o Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo oferece uma programação especial que reúne diferentes manifestações artísticas inspiradas na sua história.

Dona Yayá foi diagnosticada aos 30 anos como portadora de desequilíbrio mental, e declarada incapaz de gerir a fortuna da qual era única herdeira. Desde então, por recomendações médicas, viveu reclusa na casa da Rua Major Diogo até sua morte, em 1961. A trágica vida de Dona Yayá ainda hoje instiga a curiosidade e a imaginação dos que dela ouvem falar, e é parte da história do bairro da Bela Vista.

Programação:
Exposição
'Yayá um lugar de memória'
Visitação: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

22/01 - 11h  - Dança contemporânea
Emaranhado – Núcleo Pedro Costa Cia. de Dança
Fragmento do espetáculo "Emaranhado", criado em 2014, que retrata a história do Bixiga por meio da dança, em uma referência às várias identidades culturais e personagens que compõem o cenário do bairro, como Dona Yayá.  

31/01 - 19h – Mesa-redonda
Profa. Marly Rodrigues, União de Mulheres e CPC-USP
05/02 - 11h  - Música
Prelúdio da Solidão – Juliana Amaral e Gustavo Sarzi                                      
Espetáculo concebido especialmente para o CPC-USP em 2013, inspirado na Casa de Dona Yayá, este pequeno concerto de voz e piano tem como mote a solidão. Após circular por alguns pequenos teatros de São Paulo, agora retorna renovado a essa casa.

07/02 - 20h - Teatro
Yayá – Cia de Teatro Humanoide
Duas histórias se fundem neste espetáculo para falar sobre a alma feminina e a loucura como escape às fatalidades das tragédias humanas: a de Dona Yayá e o conto de fadas "Sapatinhos Vermelhos", sobre uma pobre menina órfã.

14/02 19h Video performance - conversa com a artista
O Banho – Marta Soares
A artista apresenta sua instalação coreográfica "O Banho" (Prêmio APCA 2004), que  utiliza elementos de dança, performance e vídeo para refletir sobre questões como isolamento, sanidade, morte, num ritual de limpeza e cura.

19/02 10h -  Bloco carnavalesco
Bloco da Dona Yayá - Yayartes
Bloco organizado pela União de Mulheres de São Paulo que há mais de 15 anos sai às ruas do Bixiga na semana que antecede ao Carnaval. A concentração é na Rua Coração da Europa, 1395, e o trajeto termina na Casa de Dona Yayá, numa homenagem à memória dessa figura feminina.

Serviço:
Casa de Dona Yayá
Rua Major Diogo, 353
Bela Vista – São Paulo – SP
Telefone: (11) 2648-1501/1502
Entrada gratuita      
Programação sujeita a alteração sem aviso prévio.

Sobre o CPC-USP
O Centro de Preservação Cultural, criado em 2002, é um órgão da  Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo que deu continuidade às atividades da Comissão de Patrimônio Cultural, iniciadas em 1986. O papel do CPC é promover ações e reflexões sobre a preservação do patrimônio cultural da Universidade, incluindo seus monumentos, acervos e memórias. Tem por responsabilidade formular diretrizes e políticas de preservação do patrimônio universitário, inventariar os bens culturais da USP, fomentar e desenvolver programas de valorização e documentação desses bens, assim como assessorar processos de restauração, intervenção, incorporação e alienação do patrimônio universitário. Sediado no bairro do Bixiga, o CPC vem ainda contribuindo para o estreitamento e diversificação dos vínculos entre a universidade e a sociedade, introduzindo em sua agenda ações de comunicação museológica, educação patrimonial, difusão de conhecimento especializado e socialização cultural por meio de pesquisas, oficinas, cursos, palestras, simpósios, exposições, visitas monitoradas e apresentações artísticas.

Sobre a Casa de Dona Yayá
Sede do CPC-USP desde 2004, a Casa de Dona Yayá foi transferida em 1969 como herança vacante à Universidade de São Paulo, passando, ao longo das últimas décadas, por cuidadosos trabalhos de conservação e restauro que abrangeram a recuperação do imóvel, restauração das pinturas parietais em seu interior e dos jardins da chácara que a circundava. Considerado um dos últimos remanescentes do antigo cinturão de chácaras que circundava a região central da cidade, o imóvel assumiu importância histórica ainda maior ao ser convertido em local de clausura de sua proprietária mais ilustre, Sebastiana de Mello Freire, Dona Yayá, que por ser considerada mentalmente incapaz ali viveu reclusa entre 1919 e 1961. Com base nessa rica história material e imaterial, a Casa de Dona Yayá foi tombada pelo Estado de São Paulo, em 1998, e pelo Município, em 2002.  O CPC- USP promove a valorização desse imóvel através de sua abertura ao público, incentivando reflexões a respeito de sua arquitetura, da história do bairro e da personagem Dona Yayá.

Universidade de São Paulo
Reitor: Marco Antonio Zago

Pró-Reitoria de Cultura e Extensão
Pró-Reitor: Marcelo Romero

Centro de Preservação Cultural
Diretora: Mônica Junqueira de Camargo

Fonte: CPC USP

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31