MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Um dos lugares mais interessantes e atuantes da capital mineira do segmento infantil está soprando velinhas. Começam em outubro, mês das crianças, as festividades que comemoram uma década de vida do Museu dos Brinquedos, ponto de constante visitação de crianças e adultos.

Uma programação repleta de atividades culturais foi especialmente pensada para o mês, mas é preciso ficar atento pois a comemoração se estende até o ano que vem, com uma lista potente de atrações, incluindo oficinas, números cênicos e contação de histórias.

No mesmo período o Museu também promove ações itinerantes em vários locais da cidade, além de escolas e praças, que recebem atividades de contação de histórias, exposições e brincadeiras. Leia aqui a programação completa.

Além de atender o público visitante, o Museu dos Brinquedos atua em projetos itinerantes, indo a escolas e promovendo exposição de brinquedos nestes locais com curadoria e museografia.

Em sua sede situada no bairro Funcionários, o espaço desenvolve atividades pedagógicas e conta com pátio aberto, sala de leitura e brinquedoteca. O acervo totaliza aproximadamente 6 mil peças, entre eles bonecas, carrinhos, carrinhos de bebê, móveis, fogões, louças, máquinas de costura, ferros de passar roupa, trenzinhos, autoramas, velocípedes, pelúcias, cavalos de pau, fantoches, robôs, jogos, brinquedos musicais, livros infanto-juvenis, lanternas mágicas.

A riqueza e diversidade desse acervo tem rendido bons números de visitação. Durante seus dez anos de vida, o local foi visitado por mais de 185 mil pessoas.

História
Em 19 de outubro de 2006, no tradicional mês da criançada, Belo Horizonte ganhava um museu totalmente dedicado à infância. O acervo nasceu da mania de colecionar brinquedos que a pequena Luiza de Azevedo Meyer mantinha desde seus 3 anos de idade. O hábito só se aprimorou, especialmente após Luiza crescer e se tornar mãe de 10 filhos e avó de 23 netos. De tanta diversidade em brinquedos de várias épocas, convites para exposições itinerantes começaram a aparecer, o que acabou incentivando a família a fundar o museu o falecimento de Luiza, aos 87 anos.

Para Tatiana de Azevedo Camargo, neta de Luiza e gestora do museu, “o brinquedo e a brincadeira são importantes objetos patrimoniais a serem preservados e divulgados, pois contam muito de nossa sociedade e são fundamentais no desenvolvimento de cada indivíduo”.

Em 2017
A criançada terá a oportunidade de comemorar a primeira década do Museu durante um período elástico, já que a programação se estende até o ano que vem, a saber:
 
-  Papais e mamães também serão contemplados com palestras educativas e pedagógicas, uma parceria com a Revista Canguru que será realizada nos Centros Culturais da capital, juntamente da exposição de obras do artista Ricardo Ferrari, que aborda o universo infantil.

-  Ainda no campo da reflexão, um seminário irá debater sobre as condições e qualidade da infância brasileira, e contará com a participação de especialistas nas áreas de educação, direitos humanos, psicologia e medicina infantil. Intitulado “O direito à infância”, o evento tem parceria com o Núcleo de Jornalismo e Educação do Centro Universitário UNA.
 
-  Os avôs e avós não foram esquecidos, por isso em 2017 a equipe do Museu prepara visitação a casas de idosos para contação de histórias sobre o surgimento do brincar nas antigas civilizações.
 
-  Projeto Diversidade: exposição com releituras de bonecas, especialmente de Barbies, que serão adaptadas para gerar reflexão sobre a diversidade de gênero, raça, acessibilidade, religião, cultural etc. A ação acontece em parceria com a Escola de Moda do Centro Universitário UNA.

-  Os sábados serão animados com constantes apresentações culturais e artísticas, entre elas Enrola Bola – Músicas para brincar, com Rubinho do Vale e oficinas especiais; Grupo Folclórico Aruanda e oficinas artísticas; Pocket Show Acústico com Érika Machado e oficinas especiais; Mundo Circense no Museu com mágicas, malabares, palhaçadas, acrobacias e camarim de palhaço; Concerto em Ré, com Grupo Maria Cutia e oficinas especiais; A Caixinha de papelão – Cia Patela de Teatro e Dança.

ENDEREÇO
Av. Afonso Pena, 2.564 – Bairro Funcionários, 30103-007 - Belo Horizonte

TELEFONE
(31) 3261-3992

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
O museu abre para visitação de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h, e sábados e feriados, das 10h às 17h.

AGENDAMENTO DE VISITAS
Visitas de grupos devem ser agendadas antecipadamente.

ENTRADA
R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Para família de 4 pessoas ou mais, desconto de 20% no valor total.
SITE
www.museudosbrinquedos.org.br

Fonte: SEC MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31