RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - O Rio de Janeiro é reconhecido globalmente como uma das cidades mais fotografadas do mundo. Essa posição vem desde os primórdios da fotografia até os dias de hoje, na era digital.

Unindo passado e presente na arte do registro da imagem, a cidade recebe no dia 12 de agosto, sexta-feira, na Praça XV, o Monumento à Primeira Fotografia feita na América do Sul. Oferecido ao Rio pela Prefeitura de Paris, o monumento faz parte do programa de comemoração dos 200 anos da Missão Artística Francesa no Brasil. A cerimônia de inauguração do monumento terá a presença do Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e da Prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Esta imagem do Paço Imperial, atribuída ao francês Louis Comte, é considerada como a primeira fotografia feita na América do Sul. A demonstração do novo invento - na época denominado daguerreotipia - foi feita no dia 17 de janeiro de 1840 e noticiada pelo Jornal do Commercio, então principal diário carioca, na sua edição vespertina. No dia 20 de janeiro, o invento foi apresentado ao jovem Imperador do Brasil D. Pedro II, que se tornou o primeiro fotógrafo brasileiro.

Louis Comte era capelão de um navio-escola francês e aportou no Rio de Janeiro apenas de passagem, mas deixou o povo brasileiro e especialmente o imperador D. Pedro II, encantado com o resultado de suas fotografias. Dois meses depois da demonstração de Comte, em março de 1840, D. Pedro II adquiriu seu primeiro daguerreótipo, tornando-se o maior divulgador da arte no país e o primeiro fotógrafo brasileiro, com apenas 15 anos de idade.

A principal imagem registrada durante sua passagem pela cidade do Rio é o Daguerreótipo do Paço Imperial, que será o Monumento à Primeira Fotografia da América do Sul. O monumento simbolizará então a primeira imagem de processo fotográfico produzida na América do Sul e uma das primeiras, em toda a história da fotografia, em que aparecem, com nitidez, pessoas e animais em um logradouro público. O monumento tem curadoria de Milton Guran e design de Jair de Souza e Ado Azevedo."A Praça XV é, historicamente, o maior espaço de construção da nossa nacionalidade, o que dá ainda mais significado a esse monumento que, ao celebrar a realização da Primeira Foto feita na América do Sul, simbolicamente destaca a importância da fotografia na construção da nossa identidade. Ainda mais nos tempos de hoje, quando todos produzem imagem o tempo todo", afirma Milton Guran.

A fotografia é considerada um importante instrumento de construção de identidade cultural e histórica, e Paris e Rio de Janeiro são duas cidades que utilizam esta arte com maestria.

"Dois séculos mais tarde, a França continua sendo uma passagem privilegiada para grande parte dos artistas brasileiros. Da mesma forma, inúmeros artistas franceses frequentam o Brasil. A missão Artística Francesa não produziu apenas obras notáveis, prontas para uma redescoberta, mas sobretudo liberou energia e inspiração que permaneçam bastante vivas em 2016.", comenta Guillaume Pierre, Adido de Cooperação e de Ação Cultural do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro.

O projeto
O Daguerreótipo consiste numa imagem fixada sobre uma placa de cobre com um banho de prata, formando uma superfície espelhada. Trata-se de imagens únicas, fixadas diretamente sobre a placa final, sem o uso de negativo.  O monumento terá estrutura de aço escovado e vidro laminado auto-limpante. A fotografia, o texto e as marcas serão impressos nas duas faces do monumento. O degradê prateado cria uma luminosidade e ao mesmo tempo uma área protegida para os textos e marcas patrocinadoras. O piso circular em granito preto, com sinalizadores em aço para deficientes visuais, estabelece uma área nobre sem criar impacto de volumetria. Essa composição tem o significado de um marco, uma celebração. O monumento possui a altura de 2 metros e ficará localizado na Praça XV, no Centro do Rio, local revitalizado para os Jogos Olímpicos de 2016.

O projeto tem o patrocínio da Alstom, empresa francesa que atua no Brasil há 60 anos e é líder mundial em sistemas ferroviários integrados. A Alstom gerencia a maior gama de soluções do mercado – de trens de alta velocidade a metrôs e VLTs – serviços customizados e soluções de infraestrutura e sinalização. A Alstom é a fornecedora do sistema integrado do VLT Carioca, que inclui 32 VLTs Citadis, sistemas de fornecimento de energia, sinalização e telecomunicações.

Serviço
Data: 12 de agosto (sexta-feira) – aberto ao público
Inauguração do monumento com Prefeito Eduardo Paes e a Prefeita Anne Hidalgo –  12 de agosto (sexta-feira).
Local: Praça XV - Praça Quinze de Novembro, s/n – Centro

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31