MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Dirigido por professora e estudante da Fafich, ‘Cartografias não humanas’ disputa o voto popular e o do júri especializado

Cartaz do filme 'Cartografias não humanas' (Divulgação)

O curta-metragem Cartografias não humanas, dirigido pela professora Regina Horta, da Fafich, e pela graduanda em História Bruna Pessoa, concorre na mostra competitiva do Arquivo Em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo. O curta, que disputa com outros 25 filmes produzidos no Brasil, em Portugal, na Itália, no México e na Alemanha, será exibido até 3 de dezembro.

A produção é um desdobramento das pesquisas realizadas pela professora Regina Horta, vinculada ao Programa de Pós-graduação em História, nas áreas de História Ambiental e História dos Animais. Bolsista de iniciação científica, Bruna Pessoa, que também é artista visual, se juntou à professora para desenvolver narrativas visuais sobre os processos históricos complexos que envolvem natureza e sociedade.

Cartografias não humanas lança mão de imagens contemporâneas e de material de arquivo da cidade de Belo Horizonte para entender como a cidade se construiu historicamente em relação ao seu meio natural. Rios, solos, vegetais e animais são os protagonistas do filme. Eles redesenham e desafiam, a todo momento, a cartografia dos espaços urbanos e o modelo de sociedade contemporâneo que representam.

Premiação
Para ganhar o prêmio, o filme, além conquistar a preferência do júri oficial, precisará do voto popular, que pode ser dado por meio da plataforma de streaming Cardume, ambiente onde os filmes estão sendo exibidos neste ano em decorrência da pandemia de covid-19.

Para assistir ao curta-metragem e votar, basta fazer um cadastro gratuito no site da Cardume.

Fonte: UFMG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31