BRASIL, Belo Horizonte - Depois de conquistar os brasileiros, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, criada há dez anos, se prepara para levar música brasileira de qualidade para a Europa.

A Filarmônica, que tem conseguido reunir em seus concertos cerca de 100 mil expectadores por ano, fará em outubro deste ano uma turnê por Lisboa, Amsterdam, Paris, Praga e Berlim, em uma parceria com o Ministério das Relações Exteriores e apoio do Ministério da Cultura (MinC).

As salas nessas capitais estão reservadas, os músicos escalados e o programa definido. A regência será do maestro Fábio Mechetti, diretor artístico da Filarmônica, com Nelson Freire no piano. Serão executadas obras dos brasileiros Carlos Gomes (O Guarani) e Heitor Villa-Lobos (Momo Precoce e Choros no. 6) e do espanhol Manoel de Falla. A execução das peças ficará a cargo dos 90 músicos da Orquestra, selecionados por edital público e audição.

Lei Rouanet
Anualmente, a Filarmônica de Minas Gerais faz 53 concertos para assinantes – 3.500 pessoas que compram antecipadamente seus lugares nos espetáculos, anunciados em setembro do ano anterior. As apresentações são realizadas com apoio da Lei Rouanet. Para este ano, o MinC autorizou o Instituto Cultural Filarmônica a captar R$ 12 milhões para as atividades culturais da Orquestra, gerida por uma parceria público privada entre o governo mineiro e Instituto Cultural Filarmônica.

O presidente do Instituto Cultural Filarmônica, Diomar Silveira, apresentou nesta quarta-feira (17) a programação da Orquestra em 2018 ao ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Silveira aproveitou a audiência e convidou o ministro para a abertura oficial da temporada de 2018, nos dias 22 e 23 de fevereiro, que terá como convidadas as pianistas gêmeas Christina e Michelle Naughton. O espetáculo incluirá o Concerto de Mendelssohn, a Quinta Sinfonia de Tchaikovski e O Garatuja: Prelúdio de Nepomuceno. Antes desse concerto, haverá uma apresentação especial nos dias 17 e 18 de fevereiro, em comemoração aos dez anos da Filarmônica, que se apresentará na Sala Minas Gerais – o concerto de aniversário executará a Nona Sinfonia de Beethoven.

Inclusão social
A Filarmônica de Minas ainda desenvolve um programa educacional que inclui os Concertos Didáticos para escolas da rede estadual de ensino; os Concertos para a Juventude, nas manhãs de domingo, para formação de público; o Festival Tinta Fresca, para descobrir novos talentos; e o Laboratório de Regência, voltado para a formação de regentes. Tem ainda concertos comentados e ensaios abertos, além do projeto Ultrapassando Fronteiras, que leva a Filarmônica para outras cidades. "São momentos importantes, em que levamos a nossa música para espaços públicos", disse Silveira.

Fonte: MinC

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31