PORTUGAL, Lisboa - De 11 de fevereiro a 15 de abril, um conjunto de 40 fotografias da Coleção Inhotim feitas pela artista Claudia Andujar irá compor uma mostra no Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa, Portugal. A exposição, intitulada "Claudia Andujar – Visão Yanomami", tem entrada gratuita e integra a programação do evento Passado e Presente – Lisboa, capital ibero-americana de Cultura, que oferece, ao longo do ano, mais de 150 atividades culturais espalhadas por toda a cidade.

As imagens registram os primeiros anos de convivência da artista com o povo Yanomami e revelam um longo processo artístico, que resultou em um arquivo de mais de 10 mil fotografias. Andujar também teve uma importante atuação política na região – foi uma das fundadoras da Comissão pela Criação do Parque Yanomami (CCPY) e lutou pela demarcação da Terra Indígena Yanomami na Amazônia brasileira, em 1992.

Foto da exposição 'Claudia Andujar - Visão Yanomami'.
Acervo Instituto Inhotim (MG).

Para a curadora do Inhotim Marta Mestre, a exposição Claudia Andujar – Visão Yanomami vai apresentar o trabalho da artista, ainda pouco conhecido para o público português e europeu. "Trata-se de um conjunto expressivo daquilo que se pode ver no Inhotim, cuja galeria expõe permanentemente cerca de 400 fotografias da artista. As imagens que estarão presentes em Lisboa foram todas realizadas entre 1974 e 1983, em plena ditadura brasileira, e após abandonar a carreira de fotojornalista. O conjunto faz parte do longo ensaio sobre os Yanomami a que Claudia se dedica, ao mesmo tempo em que testemunha enquadramentos jurídicos e ideológicos do Brasil moderno, como aqueles que podem ser vistos na série Marcados", comenta.

Sobre a artista
Claudia Andujar nasceu na Suíça, mas durante a infância e a adolescência morou em diversas cidades, fugindo da perseguição nazista. Em 1955, após nove anos em Nova York, mudou-se para o Brasil. Iniciou sua carreira como fotógrafa e trabalhou para diferentes publicações nacionais e estrangeiras, como as revistas Claudia, LIFE e The New York Times Magazine.

Em 1970, foi enviada à Amazônia pela revista Realidade para trabalhar em uma edição especial sobre a região. Durante a viagem teve seu primeiro contato com os Yanomami, experiência que a marcou para sempre. A informalidade da vida cotidiana na floresta, a curiosidade e a vontade de compreender o outro e a si mesma fizeram com que Andujar se envolvesse profundamente com a questão indígena no Brasil.

Em 2015, o Instituto Inhotim inaugurou uma galeria permanente dedicada ao trabalho da fotógrafa. O pavilhão de 1.600 m² é o segundo maior do Parque e exibe mais de 400 imagens realizadas pela artista entre 1970 e 2010 na Amazônia brasileira e com o povo Yanomami. Ao longo dos anos, ela registrou o ambiente, as tradições e o contato dos indígenas com o homem branco.

Dividida em quatro blocos, a exposição inaugural da galeria é resultado de cinco anos de pesquisa da curadoria do Inhotim em conjunto com Andujar e apresenta séries inéditas e outras, celebres, como os registros que compõem Marcados. Trabalho mais reproduzido de Andujar, foi elaborado a partir de fotos feitas por ela para os cadastros de saúde utilizados pelas equipes de vacinação da região, numa tentativa de proteger os índios da dizimação por doenças até então desconhecidas por eles, como sarampo e poliomielite.

Sobre Passado e Presente
Lisboa, capital ibero-americana de Cultura de 2017 A cidade de Lisboa foi eleita pela União das Cidades Capitais Ibero-Americanas para ser, em 2017, a Capital Cultural desse universo tão diversificado em termos geográficos e culturais. Pela programação, elaborada pelo curador António Pinto Ribeiro, será possível ver traços, rotas, testemunhos do Passado, nem sempre grandioso, nem sempre heroico. Ao Presente, serão dedicadas exposições, concertos,lições, cinemas, oriundos de cidades próximas ou distantes, cujos cidadãos compartilham do português e castelhano, articulando pronúncias diversas. Para a realização do evento estão envolvidos mais de 40 equipamentos culturais, 150 atividades e mais de 100 artistas, produtores, professores e outros profissionais.

SERVIÇO
Exposição "Claudia Andujar – Visão Yanomami", parte da programação do evento
Passado e Presente – Lisboa, capital ibero-americana de Cultura
Quando: de 11 de fevereiro a 15 de abril
Onde: Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa
R. Palma 246, 1100-394 Lisboa, Portugal
Entrada gratuita

Fonte: Instituto Inhotim

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31