RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A festa de abertura da Olimpíada do Rio começou com forte emoção, apesar de o Maracanã não estar lotado. Poucos minutos antes do início, o público fazia a ola, e cantava "Brasil!" "Brasil!", à espera do espetáculo.

Momentos antes, a atriz Regina Casé interagiu com o público, pedindo que eles fizessem barulhos ou acendessem seus celulares de acordo com o andar da festa.

Ao som de "Aquele abraço!", começou a festa pontualmente às 20 horas. Bailarinos vestidos de prateado imitaram ondas no mar.

Em seguida, Paulinho da Viola cantou, ao violão, o Hino Nacional.

Com imagens e efeitos que remetiam à natureza, projeções exaltaram o mar. Em seguida, bailarinos entoaram canções indígenas. Barcos e navegantes lembravam a chegada dos portugueses às terras brasileiras.

Em seguida, bailarinos faziam alusão as escravos no Brasil.

Num jogo de efeitos especiais, a próxima cena mostrava bailarinos como que saltando sobre edifícios. O público interagia com frequentes aplausos.

Uma réplica do 14 Bis surgiu no palco, e "decolou", simulando uma viagem pelo Rio de Janeiro. O público veio abaixo.

Ao som de "Garota de Ipanema", de Tom Jobim, Gisele Bundchen aparece, desfila pelo estádio e é ovacionada.

Em seguida, a funkeira Ludmilla sacudiu o público, e Zeca Pagodinho atacou de "Deixa a vida me levar", sob fortes aplausos.

Numa grande mistura de estilos e ritmos, bailarinos com variadas fantasias ocuparam todo o gramado do Maracanã. Regina Casé voltou ao palco e fez um breve discurso pregando a paz e  respeito às diferenças. Era a senha para o começo de um grande baile ao som de "País Tropical", com Jorge Benjor. A plateia correspondeu, aplaudindo e dançando.

Fonte: Jornal do Brasil

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31