BAHIA, Salvador - O público poderá conferir a partir desta terça-feira (22), na Casacor, no bairro do Horto Florestal, em Salvador, a escultura que representa o orixá Oxalá do artista plástico Mário Cravo Júnior.


Foto: divulgação

A peça já está pronta para voltar às exposições depois de passar por obras de reconstrução e recuperação realizadas pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), órgão da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), sob coordenação do artista e servidor João Moura.

A peça Oxalá, composta de cobre e latão, assim como outras de Mário Cravo Júnior, foi alvo de vândalos no início deste ano, ainda enquanto esteve no edifício sede dos Correios, no bairro da Pituba. Após este acontecimento, a escultura foi doada para o Estado, por meio do Ipac. “Diante de uma peça com grande valor artístico e religioso, decidimos promover a total reconstrução e recuperação da escultura por meio de um investimento de aproximadamente R$ 200 mil. Agora ela encontra-se com todas as suas características originais intactas”, afirma o diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira.

O trabalho realizado na peça incluiu a reconstrução da cabeça, do braço direito e das vigas estruturais, além do jateamento de areia (retirada da camada oxidada na superfície da escultura), e recomposição de parte dos adereços e vestimentas. A obra foi coordenada pelo artista plástico e escultor, João Moura.

Ele trabalhou por 25 anos com Mario Cravo Júnior e revela a satisfação em ter participado da recuperação do Oxalá. “Trata-se de uma escultura com modelagem de características medievais. Trabalhamos por 45 dias consecutivos para entregarmos a arte com a expressão artística e religiosa originais para que tenha uma linguagem similar a do artista, com a finalidade que ela volte a se comunicar com o espectador como era antes”, disse João Moura.

Mário Cravo Júnior era considerado um dos principais artistas modernistas do país e especialista em monumentos. Premiado nacional e internacionalmente, ele foi um dos nomes que mais estimulou e valorizou os elementos da cultura popular para produzir arte por mais de 70 anos de atividade profissional.

Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) - Autarquia do Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC coordena atualmente a proteção de 186 bens culturais na Bahia, sendo 100 em caráter definitivo e dois perímetros urbanos. Em 2017 o IPAC completará 50 anos de serviços prestados à história, à memória e à sociedade da Bahia, sendo referência no Brasil como órgão pioneiro no país em defesa dos bens culturais materiais e imateriais.

Fonte: Secult BA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31