BAHIA, Salvador - Na próxima semana, os museus vinculados à Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), realizam uma série de homenagens ao Dia das Crianças (12), procurando fortalecer a relação museu-comunidade a partir de atividades que proporcionem às crianças o correr e o pular ao ar livre, além de estimular a prática artística.

O destaque fica para a terça (10) com o projeto ‘Pintando o Sete – brinquedos e brincadeiras’ que acontece a partir das 10h30 e das 13h30 na Praça das Artes (Pelourinho) com alunos da Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima. Nesse dia ainda acontece às 17h, a abertura da exposição “Os Meninos do Pelô não apenas sabem tocar tambor: também apreciam música, literatura e obras de arte” com alunos do Colégio Azevedo Fernandes, no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (também no Pelourinho).

De acordo com Fátima Soledade, assessora técnica da DIMUS, o projeto Pintando o Sete: brinquedos e brincadeiras, é uma ação integrada entre os Setores Educativos dos Museus DIMUS/IPAC e o LabDIMUS (Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura) em comemoração ao Dia da Criança, oferecendo ao público infantil um dia de atividades lúdicas. Farão parte jogos e brincadeiras com peteca, a amarelinha, a ciranda, além de outros que tenham um valor cultural e tragam movimento a essas crianças.

“Com isso, buscamos promover a interlocução entre relevantes elementos da cultura popular infantil visando fortalecer a relação museu-comunidade a partir de atividades que proporcionem às crianças lembranças dos brinquedos e brincadeiras que perduram até hoje no imaginário popular onde o correr e o pular estão presentes no rico universo infantil. Hoje os jogos eletrônicos instalados em computadores e celulares vêm tomando rapidamente os espaços destas antigas e salutares brincadeiras infantis. Cada vez mais a criança se afasta dos brinquedos e das brincadeiras onde o fator principal é o contato saudável entre elas”, explica.

Foto: Divulgação

Exposição
‘Os Meninos do Pelô não apenas sabem tocar tambor: também apreciam música, literatura e obras de arte’ é o nome da exposição que será aberta dia 10/10, às 17h, no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho). Uma parceria entre o Colégio Azevedo Fernandes, o Museu Udo Knoff e o LabDimus, a mostra fica em cartaz até 10/11, apresentando 20 peças de pintura em azulejo, 12 pinturas em tela e uma revista em quadrinhos. A abertura contará com apresentação da Fanfarra do Colégio Estadual Azevedo Fernandes (sai tocando do colégio até o museu) e performance artística.

“O artista Carybé foi escolhido por ilustrar as obras de Jorge Amado e por retratar, em suas obras de arte, cenas do cotidiano que dialogam com cenas do livro ‘Capitães da Areia’, muitas delas no Pelourinho, o que remete às cenas reais protagonizadas pelos alunos do Colégio Estadual Azevedo Fernandes. Assim, literatura e pintura se entrecruzam dando sentido à leitura que os alunos fazem da arte em diálogo com o mundo, a arte que se faz no interior do coração, a arte que inclui. Além disso, os episódios narrados no livro têm como espaço geográfico vielas, ladeiras, ruas do Pelourinho que exibem, em sua arquitetura, imponentes casarões e igrejas revestidas de azulejos trazidos de Portugal”, informa a coordenadora do museu, Renata Alencar.

A programação do Udo Knoff prossegue na segunda (09/10) e quarta (11/10), das 9h às 11h e das 14h às 16h, com a mediação ‘Comunicação e Visibilidade’ e atividade PoeMusik ‘Construindo Rasuras: a memória em foco’, com um grupo de alunos, de 16 e 18 anos do Curso Eletrotécnica do IFBA (Camaçari). Nesses dias, o grupo que coordena o Poemusik também fará uma performance para os estudantes, com poesias que tratam do tema sobre identidade e memória. Já no sábado (14/10), às 14h na frente do museu, acontece a atividade de Roda de Capoeira e Samba de Roda com o Grupo de Capoeira Infantil da Associação de Capoeira Angola Mestre Pelé das Bomba, Grupo de Percussão Mãos no Couro com Professor Dainho Xequerê e participação de outros mestres de Capoeira.

“O projeto ‘Construindo Rasuras: a memória em foco’ é uma atividade direcionada para atender em média 100 alunos do curso de Eletrotécnica. Os estudantes são estimulados a conhecer um espaço, discutir seus problemas e escolher um deles para proporem uma solução. Ao museu caberá a apresentação da coleção de Udo Knoff, o histórico do museu, reflexão sobre a manutenção desse espaço aberto ao público, sua visibilidade e conhecimento por parte da sociedade. Em seguida ocorrerá uma oficina de poesia para eles exprimirem seus sentimentos a partir das discussões. Ao retornarem para a escola irão construir suas propostas que serão apresentadas no mês de novembro”, explica Renata Alencar.

A oficina ‘Poemusik – Poesia Musicada’ é uma experiência criativa com o mundo das palavras realizada pelos funcionários e músicos do Museu Udo Knoff. “Tem como referência a poesia de rua e a música de improvisação estabelecendo a relação do museu com a música. A partir de estímulos proporcionados pela mediadora, o grupo passa a exercitar as palavras de formas usuais e não usuais, montando, desmontando e remontando os vocábulos de forma inventiva, produzindo descobertas surpreendentes, estabelecendo uma nova relação entre o grupo e a música”, acrescenta Alencar.

Outubro lúdico no Parque Histórico - O Parque Histórico Castro Alves (Cabaceiras do Paraguaçu, Recôncavo) vem durante todo o Mês das Crianças presentear os visitantes e a comunidade com o projeto ‘Brincando como no tempo dos nossos avós’, quando será promovida a valorização e a preservação cultural do Recôncavo Baiano através de brincadeiras antigas, samba de roda, contação de histórias, karaoquê infantil, Cinema no Parque, sarau infantil e visitas guiadas. Para participar da programação é necessário o agendamento prévio pelo telefone (75) 3681-1102.

Por conta do primeiro centenário da morte de Castro Alves, em março de 1971 foi inaugurado, no lugar onde ele nasceu, o museu biográfico Parque Histórico Castro Alves (PHCA), numa área de 52 mil metros quadrados. O acervo convida os visitantes a mergulharem no universo do porta-voz literário da Abolição da Escravatura no Brasil, através de seus poemas, informações e objetos pessoais dele e familiares. Além do museu, o parque contém um anexo com sala multimídia, auditório, biblioteca, infocentro, reserva técnica, refeitório e administrativo. Na área de Mata Nativa, os visitantes podem fazer uma trilha e visitarem o Pouso de Adelaide, o Anfiteatro, a Cruz da Estrada, a Fonte e o Marco da Fazenda. O público pode ainda usufruir dos projetos socioeducativos: Conhecendo as Nascentes; Sarau no Parque: Música, Poesia e Arte nos Finais de Tarde; Brincando como no Tempo de Nossos Avôs; Oficina de Teatro; Baú de Memórias e Sopa de Letras. Anualmente, o parque também promove o Festival de Declamação de Poemas de Antônio Frederico de Castro Alves. Visitação ocorre de terça a domingo, de 9 às 13h. Entrada grátis. Contatos: Praça Castro Alves, 106, Centro - Cabaceiras do Paraguaçu (BA) - (75) 3681-1102.

Serviço
Museus DIMUS/IPAC promovem atividades em homenagem ao Dia das Crianças
Local: Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho – Salvador (BA)
Visitação: terça a sábado
Horário: 13 às 17 horas
Contatos: (71) 3117-6389
Entrada gratuita

Fonte: Secult BA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31